Ansiedade de separação

0
1040
Gazeta das Caldas

Com o início do ano escolar, surge o aumento do n.º de casos de ansiedade de separação – situação que faz parte do desenvolvimento infantil e que é normal até certo ponto… Refere-se às preocupações da criança relativamente à perda dos pais/avós.
Quando a ansiedade de separação se torna excessiva (se a criança continuar a chorar aquando da entrega na escola diariamente durante mais de 1 mês), nesses casos podemos estar perante uma Perturbação de Ansiedade de Separação.
Esta perturbação pressupõe ansiedade excessiva relativamente à separação de casa, do seu meio e/ou daqueles a quem a criança está ligada.
Quais os sinais de alerta?
Apresentação de alguns dos seguintes sinais durante, pelo menos, 1 mês:
– Mal-estar excessivo na antecipação ou durante a separação de casa ou de figuras de maior vinculação;
– Preocupação excessiva por algum mal que possa acontecer àquelas pessoas;
– Resistência ou recusa em ir à escola;
– Resistência ou medo persistente e excessivo em estar em casa sozinho;
– Pesadelos repetidos sobre a separação;
– Queixas repetidas de sintomatologia física (dores de cabeça, de estômago, náuseas, vómitos) de antecipação.

O que fazer? Por mais que custe, diminuir a ansiedade para que a criança se sinta segura e confiante; tente perceber o que estará na origem da ansiedade de separação; ajude a criança a encontrar estratégias para enfrentar o medo; mostre-lhe que a mãe/pai irá sempre voltar para a ir buscar onde quer que ela esteja.
Um psicólogo ajudará na procura dessas estratégias. A adaptação à vida dos crescidos custa mas… vai correr tudo bem!
Um excelente ano letivo.