Jovens elaboram calendário oferecido pela Gazeta

0
104

Iniciativa da Gazeta é distribuída hoje, de forma gratuita, com o jornal

A Gazeta das Caldas desafiou o cartoonista Bruno Prates (que há anos colabora com este jornal) para a produção de um calendário para 2022 que fosse desenhado pelos alunos da academia de desenho do autor. A primeira ideia passava por um calendário que, além da sua função natural, fosse capaz de alertar as pessoas para temas cívicos, como o racismo e a igualdade, mas depois evoluiu também para temas como a sustentabilidade e a importância da reciclagem.
No final, o resultado, que é hoje oferecido aos leitores e já foi distribuído em escolas dos concelhos das Caldas da Rainha e Óbidos, é um calendário com um total de 14 desenhos, de 17 autores, com idades entre os 8 e os 19 anos.
Os artistas desenvolveram o trabalho em apenas quatro semanas e o projeto teve uma particularidade: “Estive com covid e a maioria dos alunos acabou os trabalhos em casa, a trabalhar online, precisamente para acabar o calendário a tempo, pelo que foram eles que fotografaram e digitalizaram os desenhos e enviaram”, explica Bruno Prates.
Mas se, por um lado, isto criou certos constrangimentos, por outro, “deu para trabalhar outros conteúdos, como a resolução da imagem ou o trabalho digital, em vez da aguarela”, notou o responsável pela academia.
A Academia de Desenhos do Bruno é um projeto que foi fundado no ano de 2017. A primeira Academia localizava-se na Rua Raul Proença. A mudança para as atuais instalações, na Rua 15 de maio, deu-se em 2018 e deu resposta à procura que a escola tinha.
A academia tem atualmente um total de cerca de 60 alunos. A maioria são crianças e adolescentes, mas também há uma turma de adultos que é orientada por Dila Moniz e que tem aulas ao sábado à tarde. “Há quem venha para experimentar pela primeira vez, mas também há quem pinte telas e queira explorar o desenho”, esclareceu.
O mais experiente da turma conta já 78 primaveras. “Estas aulas têm algo de terapêutico, é um momento da semana importante para os alunos e tem também a parte do convívio e da troca de experiências entre eles”, explicou Bruno Prates, notando também a importância do desenho a nível do desenvolvimento psico-motor, na autoconfiança e auto-estima, mas também a nível social.
Num balanço do ano que agora finda, o autor confessa-se surpreendido com vários “convites que nos foram feitos pela comunidade”, afirmou. Além deste desafio da Gazeta, segue-se um projeto com o Centro de Recursos Comunitários que irá implicar trabalho com idosos, colocando então os mais novos a desenhar com os mais velhos, numa troca intergeracional. E ainda existem outros convites para participações em projetos.
“O objetivo da academia é colocar o pessoal a trabalhar por um bem comum”, explica o promotor, responsável pelo Caldastoon, que todas as semanas é publicado na Gazeta.
Com 15 anos, João Pinhão, que é das Gaeiras, foi um dos mais “velhos” a participar no calendário. O jovem juntou-se à academia há cerca de quatro anos. “Desenho desde pequeno e decidi entrar para a academia para aperfeiçoar a minha técnica”, explicou.
No seu desenho procurou retratar um miúdo que plantava uma árvore e outro que colocava uma garrafa de água no lixo, como dois exemplos.
“Foi difícil porque tive que fazer o desenho duas vezes, porque fiz digitalmente e primeiro fiz com as medidas erradas, então tive que corrigir”, explicou o gaeirense, orgulhoso do resultado final.
E se João Pinhão foi dos mais velhos, Tiago Henriques, de apenas 8 anos, foi um dos mais novos. “Gostava de desenhar e a minha mãe conheceu os ateliês de verão em 2020 e decidiu inscrever-me”, recordou.
“Tenho gostado de andar aqui na academia, é fixe e sinto que tenho evoluído no meu desenho”, disse o pequeno Tiago, acrescentando que as academias de verão costumam incluir a banda desenhada. “É diferente do que fazemos aqui”, fez notar, elogiando os colegas e também os professores. “São fixes!”, exclamou.
No seu desenho procurou transmitir uma mensagem importante, com dois meninos com diferentes tons de pele a cumprimentar-se. “A ideia surgiu naturalmente e fiz”, disse o jovem artista. ■

Entidades associam-se à publicação do calendário da Gazeta

Distribuição gratuita aos assinantes e leitores do jornal. Mas também aos alunos dos 3º e 4º anos das escolas das Caldas e Óbidos

A Gazeta das Caldas publica, pela primeira vez, um calendário de parede, resultado de uma parceria com diversas entidades e com ilustrações de alunos da Academia de Desenhos do Bruno, que versam sobre um tema cada vez mais central nas sociedades modernas: a educação para a cidadania.
O calendário é oferecido com esta edição aos assinantes e aos leitores que adquirirem o jornal na banca e já foi distribuído a mais de um milhar de alunos dos 3º e 4º anos de escolaridade dos concelhos das Caldas da Rainha e Óbidos.
Este trabalho editorial é publicado com o apoio de entidades públicas como a Câmara Municipal das Caldas da Rainha, a Águas do Tejo Atlântico e os agrupamentos de escolas D. João II, Rafael Bordalo Pinheiro, Raul Proença (Caldas da Rainha) e Josefa de Óbidos.
Entidades privadas como a Pneugreen e o The English Centre também se associaram a esta iniciativa, que promete repetir-se nos próximos anos e, possivelmente, com outros temas, sempre tendo em conta a educação pela cidadania. É também desta forma que a Gazeta das Caldas cumpre a sua missão enquanto agente de desenvolvimento local e regional. ■