“Tentação” de Cátia Ezequiel na Galeria Casa do Pelourinho

0
529
A artista plástica Cátia Ezequiel (à direita) inspirou-se nas Tentações de Cristo para criar as peças em exposição

A galeria do Pelourinho tem patente, até ao final do mês, a exposição “Tentação”, de Cátia Ezequiel, integrada no programa da Semana Santa. Ao longo de dois pisos da galeria é possível apreciar um jogo de transparências e densidade que se focam no vidro em contraste profundo com os restantes materiais opacos e pesados, de ferro e madeira. Um trabalho que resulta da reflexão da artista sobre a Quaresma, nomeadamente as três tentações de Cristo, e a esfera pública e privada.
“O que proponho aos visitantes acaba por ser um trabalho intuitivo”, diz a autora, Cátia Ezequiel, docente de Artes Plásticas na ESAD. A artista recorda que inicialmente teve algumas dúvidas em aceitar o convite da Câmara de Óbidos, devido à carga simbólica da temática, mas decidiu abraçar o desafio e concebeu as três peças em apenas um mês.
Numa das esculturas expostas a autora joga com o espaço onde é colocada, alterando-lhe a disposição. “Resulta da intuição, daquilo que eu acho que é o equilíbrio das peças no espaço que está disponível”, explica, adiantando que quando for exposta noutro lado ganhará uma nova forma.
Comum a todos os trabalhos é a transparência, permitida pelo uso do vidro, que “deixa espaço em aberto para o espectador o ocupar com os seus devaneios, criatividade e pensamentos”, explica Cátia Ezequiel, destacando que cabe aos visitantes um papel activo nas suas mostras.

“Os trabalhos devem falar por si, cada pessoa construirá a sua mensagem”, resume a autora que expõe pela primeira vez individualmente em Óbidos, depois de já ter participado nos projectos colectivos “Quem são eles”, na galeria novaOgiva, e no Junho das Artes.
Todos os anos a autarquia obidense lança um desafio a artistas contemporâneos para pensarem a Semana Santa na sua perspectiva artística. Este ano o convite foi feito a Cátia Ezequiel porque “há uma leveza e transparência no seu trabalho que, ao mesmo tempo se sente como densidade e abertura para criarmos o nosso discurso com a sua obra”, explica Ana Calçada, responsável pela rede de museus e galerias de Óbidos.
A responsável destaca ainda que a artista conseguiu desenvolver um diálogo que se relaciona com a própria vila e as manifestações que ali existem durante este período.
Também presente na inauguração da mostra, que decorreu no passado dia 4 de Abril, Paula Ganhão, da Óbidos Patrimonium (empresa municipal que organiza a programação cultural da Semana Santa), destacou que estas iniciativas pretendem enriquecer a oferta cultural e criar uma alternativa, nas alturas em que não decorrem eventos religiosos, para os milhares de pessoas que visitam a vila nesta altura do ano.
Este ano a rede de museus e galerias de Óbidos, para além desta mostra, organizou também a exposição “Simbologia da Cor Litúrgica”, patente no Museu Paroquial.
A exposição pretende contribuir para a aproximação entre os significados atribuídos a cada cor e a expressão desse sentir junto da comunidade católica. Permite ainda, através do calendário litúrgico, ter proximidade a toda a ornamentaria, seu significado e tipologia de objectos, que são utilizados nas cerimónias litúrgicas.

Fátima Ferreira
fferreira@gazetadascaldas.pt