Caldas sem 14 jogadores para o derby com o Torreense

0
773

O Caldas vai este domingo (11h00) a jogo com o Torreense sem 14 jogadores, após dois terem testado positivo para a covid-19, o que colocou mais 12 atletas em isolamento profilático. O clube alvinegro procurou o adiamento da partida, mas a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) rejeitou o pedido.

Segundo informação divulgada pelo clube, os dois casos positivos no plantel principal foram detetados a 30 de dezembro, tendo o delegado de saúde local decretado o imediato isolamento profilático de mais 12 atletas.

Ao ficar privado de utilizar mais de metade do plantel principal, o Caldas procurou adiar o jogo durante esta sexta-feira junto da FPF e do Torreense, 1 de janeiro, mas, segundo o clube caldense, o organismo que tutela o futebol nacional “entendeu que o jogo se deverá realizar na data prevista, já que o Caldas Sport Clube tem, além da equipa sénior, uma equipa B e de sub-21”. Já o clube de Torres Vedras remeteu para a decisão da FPF.

O Caldas lamenta a decisão e sente-se “obrigado a ir a jogo”, além de considerar que “estão completamente desvirtuados todos os princípios com os quais se deve reger uma competição desportiva”.

Com apenas 12 jogadores disponíveis, o Caldas vai recorrer à equipa B para completar a convocatória, mas recorda que esta formação está sem treinar há duas semanas, devido à suspensão de competições e treinos de equipas não profissionais, ou equiparadas, impostas pelas medidas de restrição aplicadas com o Estado de Emergência.

Além disso, o Caldas sublinha que os 12 jogadores do plantel principal que não estão em isolamento profilático não realizaram ainda os testes a que a Direção-geral de Saúde obriga – só serão realizados na próxima semana -, pelo que se corre o risco de haver mais casos positivos entre os jogadores que vão a jogo.

 

Leia o comunicado na íntegra:

“O Caldas Sport Clube inicia este comunicado relembrando o Artigo 12 do regulamento da FPF que nos remete para os deveres gerais da competição desportiva:

1. “Todas as pessoas físicas e coletivas sujeitas ao presente Regulamento devem agir em conformidade com os princípios da ética, da defesa do espírito desportivo, da verdade desportiva, da lealdade e da probidade.
2. (…)
3. Todas as pessoas previstas no número 1 têm o dever de promover os valores relativos à ética desportiva e contribuir para prevenir comportamentos antidesportivos (…), bem como quaisquer outras manifestações de perversão do fenómeno desportivo ou ofensivas dos órgãos da estrutura desportiva e das pessoas a eles relacionados.”

No dia 30 de dezembro, foram detetados dois casos positivos de infeção por SAVRS-COV2 no nosso plantel sénior. Como medida, contactámos o delegado de saúde local que, imediatamente, decretou o isolamento profilático de mais 12 atletas, num plantel constituído por 26 jogadores.
Tendo em conta e considerando que mais de 50% da nossa equipa sénior estava em isolamento e incapacitada para ir a jogo, foram estabelecidos também contactos com a Federação Portuguesa de Futebol com vista ao adiamento do jogo de domingo frente ao Torreense.
Durante o dia de ontem, sexta-feira 1 de janeiro, e após muitas diligências, a FPF entendeu que o jogo se deverá realizar na data prevista, já que o Caldas Sport Clube tem, além da equipa sénior, uma equipa B e de sub-21 – que nesta quadra natalícia se encontram com as suas competições suspensas devido às restrições impostas pelo atual estado de emergência.
Perante tal decisão da Federação Portuguesa de Futebol, o Caldas Sport Clube ponderava:

1. Não ir a jogo, com derrota por falta de comparência e assumindo todas as consequências de tal decisão
2. Ou utilizar atletas que não treinam há cerca de 2 semanas e que nunca treinaram com a equipa sénior.

Perante todos estes cenários, o Caldas Sport Clube vê-se “obrigado” a ir a jogo, ferindo o artigo 12 da Federação Portuguesa de Futebol sobre a ética e verdade desportiva.
Informados, ainda, que além dos 14 atletas em isolamento, o restante plantel aguarda pela realização de testes impostos e obrigatórios por parte da DGS que acontecerá na próxima semana, correndo o risco de existirem mais casos entre os atletas que irão a jogo.
A direção do Caldas Sport Clube lamenta toda esta situação, considerando que estão
completamente desvirtuados todos os princípios com os quais se deve reger uma competição desportiva.
Acrescentamos ainda que durante todo o processo, foi dado conhecimento à equipa adversária – o Torreense, que não se mostrou disponível para o adiamento do jogo, remetendo a decisão sempre para a responsabilidade da FPF.
A todos os outros clubes da série F, o Caldas Sport Clube quer apresentar as mais sentidas desculpas, por considerar que está a ferir a verdade desportiva desta competição – que se deve reger, acima de tudo, pelos valores impostos no artigo 12 do regulamento da Federação Portuguesa de Futebol.
O Caldas Sport Clube continuará a defender a ética e a verdade desportiva que tantas vezes é “apregoada” pela Federação Portuguesa de Futebol.
Concluímos assim, informando que o jogo irá decorrer no dia 3 de janeiro, às 11h, com transmissão em direto no Youtube da 91 FM.

A direção, Caldas Sport Clube”