João Almeida faz segundo ao sprint à 13ª etapa do Giro

0
296
Foto: Giro D'Italia

Continua o show João Almeida no Giro D’Italia. Sexta-feira de etapa 13 e o jovem prodígio de A-dos-Francos não deixou a sorte ao acaso, com mais uma prestação ao ataque que rendeu segundo lugar, mais seis segundos de bonificação e o 11º dia consecutivo da rosa vestido.

Numa etapa quase toda ela a rolar, com duas subidas curtas, mas de dificuldade extrema, reservadas para os 30 km finais, João Almeida controlou a frente da subida, não permitindo ataques dos principais oponentes, com um ritmo que permitiu que um pequeno grupo dos favoritos chegasse isolado à chegada.

Com dois corredores no apoio a João Almeida, a Deceuninck Quick-Step colocou o seu líder em boa posição para discutir o sprint final. O italiano Diego Ulissi, da Emirates, foi o mais forte e venceu por menos de meia roda para João Almeida, que fez segundo, e o polaco Patrick Konrad, terceiro.

O segundo lugar deu a João Almeida seis segundos de bonificação, que devolvem ao líder os 40 segundos de vantagem para o segundo lugar, ocupado pelo holandês Wilco Kelderman.

A etapa de sábado, a 14ª da corrida, é o contrarrelógio de 34 km que inclui uma contagem de montanha de 4ª categoria e tem início marcado para as 11h35. João Almeida será o último a partir (por volta das 14h45) para esta etapa, importantíssima na luta pela liderança do Giro. De recordar que o jovem caldense da Deceuninck Quick-Step foi segundo classificado no crono que abriu a competição, a 3 de outubro, e se estiver num bom dia, poderá mesmo lutar pela vitória e alargar a vantagem que já tem na frente da corrida.

“Vou dar tudo”

Na conferência após a etapa, João Almeida disse que estar familiarizado com os últimos 30 km foi importante pelo conhecimento que tinha das curvas, e considerou que foi um dia positivo.

Para o contrarrelógio de sábado, o ciclista caldense afirma que será a primeira vez que fará um tão grande e que irá recolher toda a informação possível com os elementos da sua equipa que fizeram o reconhecimento no primeiro estágio de preparação – no qual João Almeida não esteve.  “Será novo para mim, se estiver num bom dia, posso manter ou talvez ganhar alguns segundos, mas se estiver mal perderei tempo. Vamos ver como estão as pernas, mas de certeza que vou dar tudo”, afirmou.

Questionado se a sua longa caminhada de rosa traz mais respeito dos adversários, João Almeida disse que “talvez comecem a pensar se consigo ou não mantê-la até ao fim. Começar o contrarrelógio com a rosa e ser o último a partir vai ser especial, estou entusiasmado”, sublinhou.

Já em relação à dureza reservada para a última semana, João Almeida não destacou nomes entre os principais rivais. “O Fuglsang [10º classificado] está a 2.20, está longe, mas se tiver um super dia pode ganhar facilmente um minuto. Estamos todos muito próximos e com as pernas boas, vai ser excitante”, exclamou.