O casal Inês Caria e Luís Gomes deixou a capital e instalou o projecto Artes & Letras na Vila Literária

É numa antiga adega, à entrada da vila de Óbidos, agora transformada em “atelier experimental de tipografia e ilustração”, como o casal Luis Gomes e Inês Caria gosta de lhe chamar, que de antigas máquinas e tipos de chumbo aliados à criatividade, resultam livros, desenhos e postais únicos, tudo produzido manualmente. O projecto nasceu da vontade que ambos partilhavam de mudar de vida

 

“Há baratas cá em casa” é um pequeno livro da autoria de Inês Caria, desde a história à sua confecção no atelier de tipografia. Uma invasão de baratas em casa deu origem à história que depois foi passada ao papel, também ele especial, que resulta de aquisições em antigas tipografias ou mesmo ofertas de casas que acabam por sucumbir ao progresso da impressão. A matéria-prima permitia imprimir 100 unidades, mas como algumas folhas se estragaram na impressão, resultaram em 88 livros, impressos folha a folha (algumas por várias vezes), cosidos e encadernados manualmente. Contas feitas “este livro teve que ir 3680 vezes à máquina”, precisou Luís Gomes, referindo-se à impressora (de braço) utilizada e que ilustra o esforço físico e tempo que é necessário dedicar a estas coisas. Mas também muito prazer no que fazem e esse é o segredo do casal para continuar a andar com o projecto para a frente.
“Se imputássemos os custos de hora da feitura do livro, o preço seria incomportável”, conta o livreiro que, juntamente com a esposa tem produzido alguns livros de autor e com pequenas tiragens. Um trabalho de minúcia e de aplicação de técnicas em desuso, mas que permitem que não haja dois livros iguais.
Aos livros juntam-se colecções de postais feitos em linogravura e xilogravura e, em fase de experimentação, está a impressão tipográfica sobre pano.
Em curso, para este ano estavam já vários projectos, que tiveram de ser adiados, ou anulados, devido à pandemia, como a vinda de um xilogravador do nordeste do Brasil para fazer um atelier em Óbidos, ou de estagiários estrangeiros, durante o Verão.
No futuro, gostariam de apostar na formação, partilha de conhecimento, nomeadmente numa parceria com a ESAD, no sentido de criar uma cadeira opcional de tipografia ou algo do género, dando enfoque no trabalho artístico através dos antigos processos.

MUDAR DE VIDA

A mudança do projecto para Óbidos tem quatro anos, mas apenas há um está a funcionar em pleno. A livraria Artes & Letras conta já com 30 anos. Nasceu no coração da capital, mas a vontade do proprietário em mudar de vida, expressa numa entrevista levou o presidente da Câmara e a então vereadora da Cultura a convidarem-no para instalar-se em Óbidos, para estar ligado à Vila Literária e ao Fólio, em cujas edições já participara. Mas não foi uma mudança fácil nem rápida.
O espólio, resultado do interesse pessoal de Luís Gomes, é composto por máquinas e diverso material de, pelo menos, cinco tipografias nacionais. A única máquina internacional que têm no atelier é datada da década de 1950 (e é uma das mais recentes), adquirida na Alemanha e das quais apenas se conhecem duas a funcionar, “já não com a sua função primária para trabalho tipográfico, mas ligada à tipografia artística”, explica o artesão. O restante espólio é mais antigo, com algumas máquinas datadas do final do século XIX.
“A tipografia é um complemento dos livros antigos”, conta o livreiro alfarrabista, que começou a “salvar” material tipográfico quando as tipografias começaram a desaparecer e a maquinaria a ser enviada para derreter ou para a sucata.
Depois de algum tempo sem uso, fechadas num armazém, o interesse de Inês Caria pelas técnicas da tipografia e um estágio com um mestre tipógrafo, deu nova “vida” às máquinas, autênticas peças de museu, mas colocadas ao uso, numa vertente artística e contemporânea.

APOSTA NO ON-LINE

Com o atelier situado num antigo armazém paredes-meias com uma adega centenária que se transformou em livraria, o projecto “Artes & Letras” fica “um bocadinho fora do circuito turistico, o que permitiria uma venda com mais resultados”, reconhece Luís Gomes, cujos clientes são quem conhece o trabalho ou visitantes curiosos.
Com ambos os espaços, atelier e livraria, com horário de contingência, o casal está a investir nas nas redes sociais, como forma de mostrar o seu trabalho. Está também a ser criado um site para a livraria, constituída por obras antigas e de colecção.

Centro de Estudos do Oeste está em fase de criação

Entre os projectos de Luís Gomes está a criação de um Centro de Estudos dedicado à região Oeste. O objectivo é reflectir, de forma global, sobre os problemas e potencialidades da região e avançar com algumas propostas e soluções integradas. Actualmente estão a ser trabalhados os estatutos e a forma de operacionalizar o centro, que contará com a participação de instituições académicas e parceiros locais, desde empresas a autarquias, não só a de Óbidos, como também as dos concelhos limítrofes. “É uma ideia a curto prazo, que penso oficializar ainda este ano ou início do ano que vem”, esclarece.
No caso de Óbidos, considera que o projecto Vila Literária tem muito futuro enquanto tiver a chancela da Unesco e defende uma aposta maior na qualidade. “Não devemos ter uma oferta de ‘bens culturais’ vindos da China que são oferecidos em qualquer sitio do mundo”, refere, destacando que o centro de estudos poderá ser um contributo importante, dando pistas a quem decide sobre o que pode vir a ser feito no futuro.

MINISTRO DA CIÊNCIA EM ÓBIDOS

O livreiro e antropólogo foi convidado a organizar algumas das actividades que integram as comemorações dos 25 anos do Ministério da Ciência. Nesse sentido, será lançada, a partir de 17 de Setembro com o jornal Público, uma colecção de livros, que na sua opinião, foram importantes para a construção do pensamento cientifico e das politicas científicas em Portugal e no mundo. Serão publicadas, em facsimile, as primeiras edições de oito livros em Portugal, de autores como Júlio Verne, Antero de Quental, Almeida Garrett ou Charles Darwin.
Paralelamente serão feitas apresentações em vários pontos do país, estando prevista uma em Óbidos, na livraria Artes & Letras, com a presença do ministro da Ciência e várias personalidades.