GABINAE assinalou 30 anos, mas cessou atividade na formação

0
625
Sabrina Ribeiro fundou a empresa em 1993

Mudança de quadro comunitário abriu a porta à decisão, que Sabrina Ribeiro fundamenta com a necessidade de abrandar o ritmo de vida

O GABINAE – Gabinete de Apoio ao Empresário encerra no final deste mês a atividade na área da formação, na qual se tornou entidade de referência no Oeste e com grande influência na Região Centro, grande Lisboa, Ribatejo, Alentejo e Algarve. A decisão da empresária e fundadora da empresa, Sabrina Ribeiro, prende-se com a necessidade de “abrandar” o ritmo de 30 anos de trabalho intenso à frente da empresa.
“É uma decisão que já vinha a ser ponderada há algum tempo”, ainda antes da pandemia, refere Sabrina Ribeiro à Gazeta das Caldas. “Queria ter melhor qualidade de vida a partir dos 55 anos, mas veio a pandemia e não o permitiu. Este ano decidi aproveitar a transição do quadro comunitário, para refletir e escolher outro rumo para a empresa”, acrescentou.
“É altura de viver a vida”, sublinhou, acrescentando que reconhece que este momento implica ter de encarar “um misto de emoções”.
A decisão de Sabrina Ribeiro “foi sendo ponderada ao longo do tempo e partilhada com a equipa, que a entendeu perfeitamente e apoiou na sua decisão”, conta a empresária.
Para trás, fica uma atividade de 30 anos, que Sabrina Ribeiro classifica como “missão cumprida”. “Foram muitos anos de trabalho, empenho e profissionalismo, sempre focados na excelência”, saindo com a consciência de ter contribuído para o desenvolvimento de mais de 50.000 formandos e inúmeras organizações”.
Formada em Direito, mas, dececionada com o sistema judicial, Sabrina Ribeiro criou o GABINAE em 1993 com a missão de criar valor nas pessoas e organizações, começando por focar a atividade no apoio às empresas, “porque, à data, eram poucos os serviços disponibilizados aos empresários, sobretudo para os novos empreendedores. A informação não circulava e as oportunidades de obter incentivos estavam a ser subaproveitadas”, recorda.
O GABINAE passou por diferentes fases, e foi em 1998 que centrou a sua atividade como entidade formadora certificada. “Começámos aqui na região, mas depois fomos estabelecendo parcerias, sobretudo com Instituições Particulares de Solidariedade Social, com quem dinamizámos projetos de desenvolvimento de competências dos seus quadros e da população envolvente”, o que permitiu à empresa expandir a sua influência por mais de metade do território nacional. “Chegámos a ter, em simultâneo, mais de 40 cursos EFA – Educação e Formação de Adultos, com cerca de 2.000 horas cada”, sublinha.
Ao longo destas três décadas, a empresa dinamizou formação para jovens, licenciados, formadores, quadros superiores de empresas, população desempregada, grupos desfavorecidos e reclusos.
Entre os fatores que contribuíram para consolidar a empresa, Sabrina Ribeiro destaca a honestidade e seriedade, a identificação e contratação de profissionais de excelência, que formaram uma estrutura muito profissional. A forte proximidade com as principais entidades e agentes do setor e o envolvimento pessoal de grande proximidade com os players do mercado, foram decisivos para sustentabilidade da empresa.
Marcante no seu trajeto foi também a participação na vida associativa. Em 2000, Sabrina Ribeiro integrou a direção do NERLEI e da AIRO, à qual esteve ligada cerca de 20 anos.
Ao longo destas três décadas, a empresa movimentou cerca de 60.000 formandos e perto de 1.500 formadores contratados, em diversas áreas profissionais e zonas do país, potenciado com uma bolsa de formadores com cerca de três mil inscritos.
A influência do GABINAE na vida das pessoas, é dos aspetos com maior impacto para Sabrina Ribeiro. “O que fica são imensas recordações de momentos de grande intervenção na sociedade, especialmente junto de pessoas que, em muitos casos, tinham e requeriam muita atenção e necessidade de valorização”. “Conhecemos muitos casos em que as pessoas se sentiram empoderadas para tomarem decisões relevantes na sua vida pessoal e profissional”, regista.
E esse impacto mede-se também por alguns testemunhos de pessoas que passaram pelo GABINAE, nas mais diversas posições e perspetivas, que atestam esse impacto. A começar por Sílvia Dinis, que trabalhou 20 anos na empresa e elogia a “empreendedora nata”, que considera “uma inspiração que levarei para os próximos projetos”.
Sandra Almeida, ex-coordenadora de EFA, lembra a “excelente casa onde trabalhei com profissionais fantásticos, aprendi muito e conheci pessoas maravilhosas, tantos colegas da coordenação, como formadores, formandos maravilhosos, que só precisavam de uma oportunidade para demonstrarem as capacidades”. Marco Martins, atual comandante dos Bombeiros de Óbidos que foi formador no GABINAE, refere “reconhecimento e gratidão” pelas três décadas da empresa ao serviço das comunidades, com “competência, rigor e elevadas qualidades profissionais”.
Sandra Paulos foi formanda e formadora e lembra, precisamente, essa passagem, à qual seguiu “uma relação com 23 anos de muita felicidade e orgulho”, destacando, ainda a “visão empreendedora” de Sabrina Ribeiro e “o percurso brilhante” da empresa. ■