Atrizes regressam para estrear uma peça

0
107
Isabel Muñoz Cardoso e Isabel Leitão trabalham agora num espaço situado no edifício da Ceres

Isabel Leitão e Isabel Muñoz Cardoso decidiram regressar às Caldas para trabalhar e viver. Deixaram a capital e têm um espaço nos Silos

Isabel Leitão e Isabel Muñoz Cardoso deixaram Lisboa e vieram viver para as Caldas. As atrizes consideram que é preciso dar lugar aos novos na capital, cidade pouco acolhedora a atrizes que já passaram dos 60 anos. Como tal, resolveram regressar à cidade termal onde viveram, durante três anos, na década de 1980, integrando a então jovem companhia Teatro da Rainha, instalada na Casa da Cultura, no Céu de Vidro.
Hoje têm um espaço arrendado no edifício da Ceres onde trabalham nas produções de peças e ainda permite a Isabel Muñoz Cardoso desenvolver do seu trabalho ligados aos figurinos e às artes, pois também faz pinturas de parede e de mobiliário.
Por seu lado, Isabel Leitão gostaria de trabalhar com utentes dos centros de dia e tem um projeto com base no conto “Quincas Berro d’Água” de Jorge Amado. “Vamos exorcizar a morte, realizando um cortejo e oferecendo arroz doce a quem passa”, disse à Gazeta a atriz, que também pretende realizar workshops de expressão dramática com crianças, jovens e adultos.
Isabel Leitão tem preparada a dramaturgia de Fada Oriana de Sophia de Mello Breyner Andresen e gostaria de a apresentar “para falar sobre os idosos em Portugal que considero muito desacompanhados”.

As atrizes representando “Quem tem farelos?” de Gil Vicente, nas Caldas da Rainha na década de 1980. Vieram do teatro de Portalegre e do teatro de Almada e viveram cá durante três anos

As autoras pertenceram a vários grupos de teatro e fizeram muitos papéis principais ao longo dos anos. Percorreram todo o país e fizeram algumas digressões internacionais com várias peças. Estão também ligadas ao grupo de teatro do Tejo e ensaiam, neste momento, a peça “O Cerco de Leninegrado” para duas atrizes, peça do espanhol Sanchis Sinisterra e que vai estrear, em janeiro, nas instalações do Teatro da Rainha. Depois, ficará pronta para digressão, e não apenas para apresentar em território nacional, pois as atrizes ambicionam apresentá-la também em palcos brasileiros.
Além disso, há ainda outros projetos já em desenvolvimento para os próximos tempos: para assinalar o centenário dos Silos, e a convite dos proprietários da Ceres, as atrizes farão uma visita guiada dramatizada que vai contar um pouco da história da Ceres nas Caldas aos visitantes.
Com este regresso às Caldas da Rainha, Isabel Leitão e Isabel Muñoz Cardoso pretendem, igualmente, provar que é possível recomeçar a vida aos 60 anos e continuar ligadas ao que mais gostam de fazer, ou seja, continuar a dedicar-se à representação. ■