Caldense mudou de vida para ensinar Português nos Estados Unidos

0
93
Canal de Youtube do projeto learneuropeanportugueseonline tem mais de 10 mil seguidores

A Língua Portuguesa é o quarto idioma mais falado no mundo e, para isso, muito contribui a dimensão populacional do Brasil. Perante a “falta de conteúdos” em Português europeu com que se deparou nos Estados Unidos, Sandra Carapinha decidiu criar um projeto para ensinar a língua de Camões nos Estados Unidos. Foi assim que nasceu, em 2018, o projeto Learn European Portuguese Online (www.learneuropeanportugueseonline.com/) e um canal de Youtube que, hoje em dia, tem mais de 10 mil seguidores.
Depois de uma carreira em Lisboa na publicidade e no marketing, a empreendedora, que nasceu na cidade norte-americana de New Bedford e veio para as Caldas aos 9 anos, decidiu mudar de vida quando a crise se instalou no nosso país. E, por isso, em 2011 voltou à Terra do Tio Sam, acompanhada pelo marido e os dois filhos. Começou por dar aulas de Português a estrangeiros, mas a procura foi tanta que teve de repensar todo o modelo de ensino, maturar o projeto e, no ano passado, a contratar mais professores.
“Durante um tempo, dava aulas e criava conteúdos de Português europeu. Encontra-se muito material para Português do Brasil, mas pouco para Português europeu”, explica a caldense, que decidiu criar um canal de Youtube e passou a publicar vídeos a um ritmo semanal.
Neste momento, disponibiliza centena e meia de vídeos, nos quais ensina pronúncia, gramática, mas também “expressões típicas”, porque há quem queira vir viver para Portugal e, por isso, tenta obter o máximo de informação, para mais facilmente se integrar na comunidade.

Paixão pelo ensino
O facto de ter nascido nos Estados Unidos foi uma vantagem. “Tentei tirar partido de ser bilingue”, assume a filha de Carapinha, antigo jogador do Caldas e que geriu um café na cidade durante vários anos. O seu projeto serve, essencialmente, dois tipos de clientes: “os estrangeiros que querem viver em Portugal e querem aprender a língua antes de vir e os que já cá estão e fazem cursos para estarem mais integrados”, sublinha a antiga aluna da Bordalo Pinheiro e da Raul Proença, que trabalhou em agências de publicidade nacionais e internacionais, mas estava “farta” dessa área e ambicionava um novo desafio profssional.
O ensino e a “paixão pela Língua Portuguesa e por Portugal” foi uma forma que encontrou de, apesar de viver no estrangeiro, “continuar a ficar ligada às raízes e cultura”. E faz questão de promover as Caldas da Rainha, sempre que pode. “Tenho muito orgulho na minha cidade e nos vídeos que publico faço referências às Caldas e há pessoas que comentam e já cá vieram, pois despertou-lhes a curiosidade”, revela Sandra Carapinha.
A residir em Santa Monica, na Califórnia, a empreendedora lidera uma equipa de sete professores de Português, que dão aulas particulares on line a meia-centena de alunos, alguns dos quais residem no nosso país e estão a fazer a preparação para o CIPLE, o curso que lhes permite obter residência.
O boom do turismo em Portugal “ajudou a captar clientes”, mas também os filhos de emigrantes “procuram os serviços”. “De repente, passaram a ter mais interesse em estar em Portugal”, sublinha Sandra Carapinha, de 45 anos, que dedica atenção, essencialmente, nas aulas individuais, até porque “cada aluno tem necessidades específicas e aprender uma língua demora anos, pelo que o importante é ter consistência”. ■