Maioria dos portugueses veem animais como família

0
151

Estudo diz que quase 70% dos portugueses olha para o animal de estimação como mais um elemento da família e destacam o carinho que sentem

Cerca de 7 em cada 10 portugueses (68,7%) consideram que o seu animal de estimação é já um elemento fundamental da família. Esta é uma das principais conclusões do estudo “Primeiros momentos com os animais de estimação” realizado pela More Than Research para a Royal Canin, empresa de referência na área da nutrição de gatos e cães.
Este estudo tem como objetivo abordar a chegada dos animais de estimação ao lar dos seus tutores, destacando a necessidade de considerar cada detalhe, desde o primeiro momento com o gatinho ou cachorro, de forma a garantir o seu bem-estar e bom desenvolvimento.
O inquérito, realizado em abril deste ano, concluiu que mais de 20% dos tutores em Portugal indicam que o animal de estimação representa um esforço totalmente compensado quando comparado com todo o bem que traz ao núcleo familiar. Mais de metade dos inquiridos (53,6%) apontam que o principal motivo da vinda deste para sua casa é o amor e o carinho que sentem pelos animais.
A chegada de um animal de companhia, seja um gatinho ou cachorro, pressupõe momentos de adaptação e algumas mudanças. Cerca de 28% dos inquiridos indicam que, desde a chegada do animal, passaram a fazer mais atividades ao ar livre. Além disso, quase metade (47,4%) dedicam em exclusivo três ou mais horas por dia ao seu gato ou cão.
Existem alguns hábitos que têm sido influenciados pela atual crise pandémica: 26% das pessoas afirmam ter “mimado mais” o seu gato ou cão; cerca de 20% dedicaram mais tempo à educação e prestaram mais atenção à saúde e alimentação do seu animal, sendo ainda que 11% adaptaram as rotinas de caminhadas e brincadeiras com seus animais de estimação devido às restrições impostas.
O principal dilema que os portugueses encontram para ter animal em casa diz respeito ao espaço (24,6%). Em segundo lugar, encontra-se a falta de tempo para as caminhadas, educação/ treino e os cuidados com a higiene (19,6%).
Apesar de quase metade (49,8%) dos tutores crer que não cometeu qualquer erro, 21,8% dos portugueses inquiridos consideram que podiam melhorar a educação do seu animal de estimação, uma opinião que se destaca principalmente nos tutores de cães.
Quase 90% dos entrevistados deixaram ainda claro que cuidar da alimentação dos animais é uma questão fundamental. ■