Mercado de arrendamento valorizou 4,6% no Oeste em 2020

0
83

Caldas da Rainha é o concelho do Oeste Norte que mais se aproxima da média da região. Subida nos seis concelhos é consistente

O mercado do arrendamento continua a valorizar-se na região, apesar da pandemia estar a ameaçar as finanças das famílias.
No segundo semestre de 2020, o valor mediano do metro quadrado para novos contratos de arrendamento no Oeste sofreu um aumento de 4,6% em relação ao período homólogo do ano passado, fixando-se nos 4,55€ por metro quadrado, segundo dados do INE. Significa isto que uma habitação de 100 metros quadrados o valor da renda será de 455€.
O arrendamento tem crescido de forma significativa, resultado da forte procura e da falta de produto para este mercado específico. Estes 4,6% surgem já depois de, no primeiro semestre, se ter verificado um aumento de 11% em relação aos primeiros seis meses de 2019.
De resto, o valor está em alta desde 2018, ano em que o INE começou a publicar estes valores. No espaço de dois anos a subida de preços já atingiu, na região, os 16,1%
Em relação aos concelhos do Oeste Norte, todos estão abaixo da média da região.
Caldas da Rainha é o que mais se aproxima, com um valor de 4,53€ por metro quadrado. Este é o concelho com menor incremento face ao segundo semestre de 2019 (1,3%).
Os dois concelhos que registam maior subidas nos novos contratos de arrendamento são Alcobaça (9,3%) e Óbidos (7,2%), o que, de certa forma, é coincidente com a maior procura de habitação fora dos espaços urbanos que a pandemia provocou. Em Óbidos, esta subida de preços surge após uma escalada de 27,7% do preço mediano do arrendamento, registada no primeiro semestre de 2020, o que levou o preço a subir de 3,50€ por metro quadrado para os 4,45€ no espaço de um ano, uma diferença de 95€ mensais para uma habitação de 100 metros quadrados.
Também na Nazaré o preço tem vindo a crescer de forma agressiva nestes últimos dois anos, depois de ter estabilizado em 2018. Ao longo de 2020 o preço mediano do metro quadrado no arrendamento subiu 5%, para 4,24€, depois de em 2019 já ter subido 11,3%.
Dos seis concelhos do Oeste Norte, apenas em Peniche se verificou uma redução do preço mediano, de 0,2%. Em 2018, este era, dos seis, o concelho com o preço mais elevado no arrendamento, é agora o terceiro, atrás de Caldas da Rainha e Óbidos.

Mais de 5 mil novos contratos
Também a procura tem aumentado na região para o mercado do arrendamento. Ainda segundo o INE, em 2020 foram celebrados 5182 novos contratos de arrendamento na região, mais 3,4% do que no ano anterior. A procura aumentou sobretudo no segundo semestre do ano.
Nos concelhos do Oeste Norte, Caldas da Rainha registou o número mais elevado de novos contratos (1.170), mesmo assim menos 18 do que no ano anterior. Também no Bombarral se verificou uma quebra no número de novos contratos (1,2%).
O segundo concelho com mais procura é o de Alcobaça (617), mais 3,5% do que em 2019 e segue-se Peniche (437), com um crescimento de 5,3%. Na Nazaré, regista-se um aumento de 10,4% no número de novos contratos de arrendamento para habitação familiar (254). Óbidos continua a ser o concelho com menos novos contratos (128), mas com um aumento de 17,4%. ■