Oeste tem menos PME Líder, mas com melhores resultados

0
439

A região tem menos 47 empresas com este estatuto, mas as 425 galardoadas subiram vendas, exportações e resultados financeiros

Os dados financeiros das PME Líder 2022 do Oeste refletem a retoma da economia. Apesar de o número de empresas que garantiram o estatuto na edição deste ano até ter caído em relação ao ano passado, a faturação média foi superior. E, mesmo tendo menos empresas que o grupo do ano passado, as PME Líder 2022 do Oeste até geraram mais riqueza que as do grupo anterior.
A edição deste ano das PME Líder tem 425 empresas do Oeste. São menos 10% do que o número de empresas da região que garantiram o estatuto de PME Líder na edição do ano passado. Apesar de esta ser uma quebra considerável, acaba por refletir um fenómeno que acontece por norma com as crises, o processo da seleção natural. O estatuto de PME Líder 2022 é atribuído com base nos dados financeiros das empresas referente ao exercício de 2021 e reflete a retoma geral da economia, mas também um período marcado pela pandemia e pelo encerramento de muitas empresas.
Esta realidade de uma lista com menor número de empresas não se verifica apenas no Oeste, ela alarga-se ao contexto nacional e a variação até é semelhante. A nível nacional, o IAPMEI e o Turismo de Portugal atribuíram 11.218 selos de PME Líder 2022, menos 979 do que na edição do ano passado, o que significa uma redução de 9,6% no número de empresas, semelhante ao que se verifica no Oeste.
Apesar disso, e ainda analisando o contexto nacional, o volume de faturação da “família” PME Líder 2022 faturou mais do que o grupo das PME Líder 2021, de 42,9 mil milhões de euros para os 45,5 mil milhões. Ou seja, praticamente menos 1000 empresas faturaram mais 2,6 mil milhões de euros. As PME Líder 2022 apresentam taxas de crescimento das vendas de 17,8% em relação ao exercício anterior, um crescimento que é ainda superado pelo das exportações, que sofreram um acréscimo de 22,2%.
Em termos de desempenho económico, o EBITDA (Resultados antes de juros, amortizações e impostos) atinge os 6,2 mil milhões de euros, com um crescimento de 32% face ao exercício anterior, enquanto os resultados líquidos superam os 3,8 mil milhões de euros, um crescimento de cerca de 43,5%. Um sinal claro que as PME Líder são empresas capazes de criar riqueza para si próprias, mas também para o país e para as suas regiões, através de investimento e liquidação de impostos.
Ainda a nível nacional, é no distrito do Porto que estão sediadas a maioria das PME Líder 2022 (19,4%), seguido dos distritos de Lisboa (18,0%), Braga (11%) e Aveiro (10,1%). O Oeste representa 4,2% do total de empresas.
Voltando a centrar-nos na região, as PME Líder 2022 valem ligeiramente abaixo dos 2 mil milhões de euros, recuando da barreira que tinha sido superada, pela primeira vez, na edição do ano passado. Porém, a média do volume de negócios por empresa aumentou, de 4,6 milhões de euros para 4,7 milhões. O grupo de empresas deste ano aumentou as vendas em relação ao exercício anterior na ordem dos 15,5%. Mas é de notar que, apesar de apresentarem uma faturação abaixo do grupo do ano passado, o grupo deste ano, mesmo mais pequeno, gerou mais lucros (de 109,5 milhões de euros para 142,5 milhões) e também mais EBITDA (de 217 milhões de euros para 248 milhões). Ao crescerem 24,3%, estas empresas apresentaram ainda melhor desempenho ao nível das exportações, de 272 milhões de euros, para 276 milhões em relação ao grupo do ano passado.
Em termos de dimensão, 71,5% das PME Líder 2022 do Oeste são pequenas empresas, 21,9% são de média dimensão e as restantes 6,6% são microempresas.
O comércio é o sector mais representado (37%), seguido da indústria (27,2%) e da construção e imobiliário (10,9%).
Entre os concelhos, Alcobaça continua líder na região, à frente de Torres Vedras e Caldas da Rainha. •