Zé Povinho – 11 de junho

0
18

Zé Povinho aprecia quem luta pelos seus sonhos e, por isso, quer felicitar a caldense Rita Marques. Mesmo em confinamento, a soprano quis participar num concurso internacional destinado a distinguir e a descobrir novos talentos na ópera. E, impedida de cantar com acompanhamento de músicos ou de atuar com orquestra, por causa da pandemia, apresentou-se na competição cantando a capella uma ária de dez minutos que a próprio gravou com o seu telemóvel. E o seu talento foi reconhecido: ganhou entrada direta numa masterclasse dedicada à parte teatral da ópera, duas audições em palcos italianos e espanhóis e ainda um contrato para uma ópera no Teatro de Sofia, na Bulgária. Zé Povinho – que já ouviu Rita Marques a cantar nos Pimpões, acompanhada pelo pianista Tiago Mileu – aposta as suas “fichas” nesta soprano pois tem a certeza que ela vai continuar a dar que falar nos palcos operáticos nacionais e internacionais. Bravo! ■

 

Zé Povinho nem quer acreditar. Poucos dias depois de milhares de adeptos ingleses terem vindo a Portugal assistir à final da Liga dos Campeões, nem todos viajarem até ao Porto numa “bolha” e vários a usufruírem da ausência de quarentena obrigatória para viajar como turistas, eis que o Reino Unido retira Portugal da lista verde de países seguros para viajar. A passagem à cor amarela implica uma quarentena durante 10 dias após a chegada, uma medida que tem um impato brutal para o turismo, numa altura em que o país está a retomar a “normalidade”. Um peso e duas medidas na forma como se encara a pandemia, a política externa e evitar as despesas dos nacionais no estrangeiro, que traz consequências nefastas para Portugal. O verão inglês este ano vai saber a Boris. ■