Automóveis clássicos estiveram em destaque na Expoeste

0
1920

carrosA Expoeste recebeu no passado fim-de-semana uma das mais carismáticas feiras do seu calendário, a ClassicAuto, dedicada aos automóveis e motorizadas antigas. Os visitantes puderam ver algumas relíquias, como um antiquíssimo Alvis – propriedade de um coleccionador da Benedita – que abria a exposição, e muitos clássicos dos anos 70 e 80.
António Marques, responsável pelas actividades da Expoeste e também membro da organização do certame, explicou à Gazeta das Caldas que esta é uma feira “de nichos e de sentimentos”, porque, por norma, estes automóveis acompanham os proprietários durante um longo período das suas vidas, pelo que o valor é muitas vezes mais sentimental do que financeiro.
Alguns MG T-Type, clássico britânico dos anos 50, ou Porsches de várias gerações, mas também automóveis de cariz mais popular, como o Mini, o 2 Cavalos, ou o Carocha, alguns Ford Escort da velha guarda, ou ainda um belíssimo Citroën AMI 8, são alguns dos exemplares que estiveram em exposição.
Uma boa parte da feira foi também dedicada ao comércio de peças e acessórios, uma vez que estes certames são o cenário ideal para que haja este tipo de trocas comerciais.
Também marcaram presença empresas de recuperação de automóveis, mostrando até viaturas em fases distintas da sua recuperação.
António Marques explicou que esta não é uma feira “do grande público porque quem vem é porque tem alguma coisa a ver com o assunto”, o que faz deste um evento de um nicho. Mesmo assim a afluência terá rondado as 5000 pessoas, “o que parece razoável e era o que esperávamos”, acrescentou.

Criação de um museu em estudo

António Marques adiantou à Gazeta das Caldas que, na sequência deste certame poderá surgir a criação de um pólo museológico para expor de forma permanente a colecção de clássicos de vários caldenses que se dedicam de uma forma especial a estas máquinas.
“Existe uma boa centena de automóveis que no futuro se podem vir a perder”, refere António Marques.
A ideia está a ser fundamentada e pode arrancar formalmente no início de 2015. “Será uma exposição permanente, num local próprio na área urbana”, adiantou. Um projecto que, a concretizar-se, será de iniciativa privada, apesar de contar com o apoio do vereador Alberto Pereira, também ele entusiasta dos automóveis clássicos.

Joel Ribeiro
[email protected]