Um religioso num movimento de cidadania

0
449
Frei Fernando Ventura provocou “um abanão na consciência das pessoas”, disse a líder do Movimento Viver a Cidade

A Biblioteca Municipal das Caldas acolheu mais um encontro “21 às 21”, organizado pelo Movimento Viver a Cidade (MVC), a 21 de Março, que contou com a participação de frei Fernando Ventura.
A empatia do convidado prendeu a assistência, que preencheu a plateia da Biblioteca Municipal e, segundo Teresa Serrenho, líder deste movimento de cidadania, várias pessoas participaram activamente neste debate subordinado ao tema “Do eu solitário ao nós solidário”.
“A explanação do orador resultou num abanão às consciências e aos preconceitos dos presentes”, disse Teresa Serrenho, acrescentando que o convidado ainda falou sobre palavras ‘mortas e sobre o medo que as pessoas têm de dizer ao outro que o amam.
Frei Fernando Ventura considera que se vive hoje um tempo marcado por um grande afastamento egoísta entre o “Eu” e o “Nós”, “um tempo em que a doce solidão solteira, ou pior ainda, solteirona, da indiferença se arrisca a ser a imagem de marca nas relações, o que deixa pouco espaço para a solidariedade”, contou Teresa Serrenho.
É neste desrespeito de cada um por si próprio e pelo outro que reside o motivo dos conflitos, das guerras e dos sacrifícios de inocentes. O convidado considera ainda que “a Humanidade está destinada por Deus a viver no paraíso, mas a não ser capaz de experimentar mais do que este inferno do nosso descontentamento…” Durante o debate foi também abordada a questão da responsabilidade das religiões na violência que há por todo o mundo.

N.N.