“Plantar Olhares” é o primeiro trabalho de arte urbana de exterior de João Canotilho, de 22 anos, e Maria João Leite, de 21, o casal de autores que estuda Design Gráfico na ESAD e que tem o atelier de trabalho nos Silos. E foi o responsável deste espaço, Nicola Henriques, que os convidou a fazer a intervenção de arte urbana que pode ser apreciada no espaço da entrada do Silos Contentor Criativo.
A intervenção – feita ao longo de uma semana em meados de fevereiro – intitula-se “Plantar Olhares” e o grafismo foi construído a partir de “hastes caligráficas” que servem de suporte a vários olhos. “Cada olhar tem a sua linguagem própria”, referiu o casal acrescentando que estes últimos “representam, no fundo, uma comunidade cuja riqueza está na variedade e complexidade de cada um”.

“Passámos o desenho da ilustração para a parede com recurso a um projetor”

João Canotilho

“É um orgulho para nós ter pintura nos Silos, onde há várias intervenções de arte urbana com linguagens tão variadas”

Maria João Leite

O desenho inicial desta ilustração foi tratada em linguagem vetorial e foi com o auxílio de um projetor que foi passada para a parede de modo a manter as formas.
A conceção do trabalho é de João Canotilho, mas a execução é de ambos.“Gostámos deste desafio e orgulhamo-nos de fazer parte daquele espaço que já conta com uma grande variedade de linguagens de arte urbana”, disse o casal que tem como referências Pantónio, Utopia, André Carrilho, Hélio Bray, Add Fuel, Frederico Draw, Gonçalo Mar, Halfstudio, Aheneah, João Varela e AkaCorleone. Alguns destes artistas lusos, acrescentaram, “obtiveram formação nas Caldas”.
Os designers – que são freelancers e trabalham nas áreas da ilustração, do design gráfico e do lettering – têm previstas uma participação no festival Loures Arte Pública, que foi adiado para 2021, além da realização de uma instalação artística comemorativa do dia da Água (SMAS de Leiria). Esta iniciativa foi adiada devido à pandemia, ainda sem nova data.
Ele é de Alenquer e ela de Santo António de Cavaleiros, mas já antes do trabalho nos Silos tinham outras intervenções no curriculum. Têm uma pintura mural no café Origami, em Massamá, e uma outra intervenção numa parede interior num Laboratório de Próteses Dentárias, em Moscavide. João Canotilho e Maria João Leite também fizeram ilustração em tempo real no Encontro Internacional de Saúde e Arte. Estes três projetos datam de 2019.
O casal não pára e, no ano passado, iniciaram o projeto de ilustração e composição gráfica do livro infantil “O pica-pau da Lagoa de Óbidos”, que se encontra agora em fase de finalização. ■