Vicente Faria mostrou a sua arte na Loja do Sr. Jacinto

0
23
Autor deu a conhecer a sua pintura e algumas esculturas no centro da cidade

Artista frequenta a ESAD e pertence a coletivo que quer debater a vida artística que se faz nas Caldas

Causam impacto as grandes pinturas que Vicente Faria deu a conhecer nos dias nos dias 28 e 29 de julho, na Loja do Sr. Jacinto. São grandes, feitas em camadas e delas surgem rostos, alguns mais abstratos, outros até um pouco assustadores.
O autor nasceu na África do Sul, mas veio para Portugal aos 14 anos. E mudou-se para as Caldas, primeiro para se formar em Design Gráfico na ESAD e depois, quando decidiu prosseguir estudos académicos, frequentou o mestrado em Artes Plásticas.
Trabalha em pintura, em desenho e em escultura. À Gazeta contou que as suas obras “são uma representação do mundo” onde o seu subconsciente tem uma forte palavra a dizer.
“Quando começo a pintar, não tenho nenhum pensamento por detrás”, referiu o autor, acrescentando que o trabalho final será o resultado de várias pinturas sobrepostas onde volta a desenhar “retirando o excesso”, contou o artista, influenciado pela arte de rua.
“Tento abstrair-me de tudo o que está à minha volta e quando pinto é quase um ritual, uma dança de elementos”, acrescentou Vicente Fariaque usa acrílico e tinta spray sobre tela e também sobre madeira.
“Ao vivenciar a nossa vida acontecem-nos coisas que nos deixam marcas físicas ou emocionais. São essas marcas que deixo também nas minhas pinturas”, disse o pintor, que trouxe também algumas esculturas, feitas em cerâmica, que são cabeças, também animalescas.
Ao desenhar, o artista aplica outro método: tapa a folha, pois desenha por cima de uma folha de carvão, ou seja, só no fim é que consegue visualizar o resultado final da sua ação.
Influenciado por vertentes de arte urbana, Vicente Faria refere W. Kentridge e Basquiat como prinicipais referências. Tem ateliê com outros artistas e pertence ao coletivo Grave. Juntamente com Veloz e Pedro Rolo promovem iniciativas como conversas e fazem a curadoria de exposições. Durante o Caldas Late Night promoveram mostras no Sr. Jacinto e na Toca da Onça, além de terem aberto o seu ateliê ao público.
“Em setembro, vamos querer retomar as Talks sobre quem trabalha nas Caldas nas áreas das artes e nos meios criativos”, referiu Vicente Faria, referindo que na lista dos convidados estão os Halfstudio, dupla de artistas visuais que têm o seu estúdio nas Caldas e fazem trabalhos de arte urbana em vários países do mundo.
“No futuro também pretendemos lançar as conversas em podcast”, disse o responsável do coletivo, que quer tornar regulares as conversas sobre os meios artísticos que se desenvolvem na cidade.
Vicente Faria, que abre ao público o seu ateliê de trabalho, já expôs em galerias no Porto e também em Lisboa. Em breve, terá obra integrada na mostra da Bienal Internacional Arte Jovem em Vila Verde. ■