Futebol: Equilíbrio e troca de vantagens acabou em empate

0
296
O primeiro jogo da época teve muita luta e indefinição no resultado até ao último segundo

Primeira jornada foi quente, com seis golos e bastante público

O Caldas entrou na Liga 3 deste ano com um empate na receção ao Atlético CP, na noite de terça-feira, num jogo com mais de 2000 espetadores no Campo da Mata e com muito espetáculo e golos.
No primeiro jogo do campeonato, os alvinegros entraram num 4-2-3-1, com Pepo ao lado de Leandro no meio-campo e Tarzan no apoio a Lucas Villela, mas foram os visitantes a entrar melhor na partida e a adiantar-se, num auto-golo de Edu, aos 15’.
A resposta dos pelicanos foi imediata, mas Francisco Lemos mostrou-se a bom nível a negar o empate a Villela. Com a pressão dos pelicanos surgiu uma grande penalidade, num lance de canto, conquistada e convertida por João Rodrigues, aos 20’. O Caldas cresceu e apenas quatro minutos depois, Farinha, num lance individual de criatividade, tirou dois do caminho antes de finalizar, com o pior pé e concretizar a reviravolta no marcador. Até ao intervalo, melhor o Caldas, mas sem mudanças no marcador.
No início da segunda metade, o Atlético entrou mais forte, mas ia sofrendo num contra-ataque de Evandro, a explorar a sua velocidade. Aos 54’, Tiago Morgado empatou novamente o encontro, depois de novo cruzamento da direita de Fábio Pala, com a bola a desviar ainda na defesa caldense. O Caldas perdeu o norte e apenas dois minutos depois voltou a sofrer, em nova cambalhota no marcador, concretizada por David Dinamite, sozinho na esquerda.
Num jogo muito disputado e com alta intensidade e agressividade, o Atlético parecia controlar a vantagem, com as linhas mais baixas, mas o Caldas acreditou sempre e foi em busca do golo. Vala mexeu na equipa e viu os suplentes agitarem o jogo, especialmente Rebelo e Marquês. Numa partida espetacular e muito competitiva, o Caldas mostrou-se sem medo de ter a bola no pé e com muitas ocasiões de golo, mas faltou alguma consistência atrás. Depois de várias tentativas (Evandro, Marquês, Chaves e Villela), os alvinegros viram o seu esforço e a crença serem recompensados, com um golo aos 90+6’ (faltavam dois para esgotar os oito de compensação dados pelo árbitro). Tarzan apareceu, a bisar, de cabeça, ao segundo poste, depois de um canto na direita e de uma assistência de Marquês. Nova explosão de alegria no Campo da Mata. O Caldas ainda ameaçou a vitória, mas faltou tempo. ■