João Almeida brilha no Giro ao ganhar a liderança no Etna

0
38

Caldense da Deceuninck Quick-Step entrou na prova com um segundo lugar no contrarrelógio e na terceira etapa chegou à liderança na montanha

“É um sonho tornado realidade!” É assim que João Almeida qualifica a subida ao pódio da terceira etapa do Giro D’Itália, uma das três provas mais importantes do World Tour, para vestir a camisola rosa, símbolo da liderança da prova, numa telegráfica declaração à Gazeta das Caldas.
O ciclista caldense, que corre pelos belgas da Deceuninck Quick-Step, nem estava previsto na escala da equipa para a prova italiana, mas a combinação de bons resultados no pós-covid-19 e algumas lesões no plantel alteraram a decisão. João Almeida fez por merecer o lugar logo no contrarrelógio de abertura, que liderou durante algum tempo e perdeu apenas para Filippo Ganna, por 22 segundos. Mas o melhor estava para vir. Na subida ao Monte Etna, ao terceiro dia, alguns dos favoritos passaram mal. João Almeida manteve-se no grupo principal durante quase toda a subida e num final épico, perdeu 1,03 minutos para o vencedor Jonathan Caicedo, o suficiente para ficar com a maglia rosa por escassos 28 centésimos.
À Gazeta das Caldas, João Almeida diz que percebeu durante a subida que podia chegar à liderança, o que lhe deu motivação acrescida. No final da etapa, o jovem de 22 anos disse que sabia que tinha cerca de um minuto para Caicedo. “Quando cortei a meta pensei que a tinha [a camisola rosa], fiquei entusiasmado enquanto não confirmaram, depois fiquei sem palavras”, comentou.
Na quarta etapa, João Almeida mostrou a vontade que tem de manter maglia rosa ao vencer um sprint intermédio que lhe rendeu mais dois segundos na dianteira.
A liderança do Giro deu uma grande mediatização ao jovem caldense, que fez capa em vários jornais e agitou as redes sociais. O feito não é para menos. João Almeida tornou-se o terceiro português a comandar uma das três grandes voltas, depois de Joaquim Agostinho, no Tour de France, e de Acácio da Silva, que vestiu a rosa no Giro precisamente na escalado ao Etna.
Numa apresentação no Europsport, João Almeida disse estar ainda a descobrir-se como ciclista e que um dos seus sonhos era poder voar. E já voa.