Festival Óbidos + Ativo envolve a comunidade

0
257
Um espetáculo de dança, logo no primeiro dia do festival, animou miudos e graúdos

Evento juntou, em quatro dias, no complexo desportivo de Óbidos, cerca de 70 atividades ligadas ao desporto, saúde e bem-estar. Houve participantes de todas as idades: de um mês aos 96 anos…

Um concerto para bebés, durante a manhã de sábado, foi uma das novidades do III Festival Óbidos + Ativo, que decorreu entre os dias 26 e 29 de maio. Dinamizada pela professora Laura Alves dos Santos, a atividade permitiu o estímulo sensorial dos bebés, mas também o apego entre pais e filhos. Outra estreia no evento foi o túnel sensorial, onde todos os sentidos eram estimulados. Os participantes descalçavam-se à entrada e, durante o percurso passavam por várias texturas como pedra, água ou casca de pinheiro, e sentiam, por exemplo, o cheiro de ervas aromáticas. “As crianças, mas também os idosos gostaram muito de entrar e fazer o percurso sensorial”, salientou a psicóloga clínica do município, Joana Duarte.
Ao todo, o III Festival Óbidos + Ativo juntou cerca de 70 atividades diferentes ligadas ao desporto, saúde e bem-estar. Foi a edição mais abrangente, com os clubes e associações a participar não só nas exposições, mas com a dinamização de atividades. “Todos têm oportunidade de mostrar o que se faz, captando mais atletas e dando, simultaneamente, visibilidade ao trabalho que realizam”, explica a vereadora Margarida Reis, acrescentando que este ano o evento envolveu todo o espaço do complexo desportivo e também com iniciativas na Lagoa de Óbidos. Os dois primeiros dias foram destinados, sobretudo, às crianças e jovens das escolas e utentes dos centros Melhor Idade, enquanto que no fim de semana as atividades atraíram sobretudo famílias e a comunidade local.
O desporto adaptado esteve em destaque no primeiro dia de evento, com a presença da Associação de Futebol de Leiria, e com a criação de momento simbólico de apoio à Seleção Nacional de Futebol. Ao todo participaram mais de uma centena de pessoas de Rio Maior, Nazaré, Caldas e Óbidos. No espaço Nutrição, o chef Hélio Loureiro apresentou um workshop de comida saudável, dirigido preferencialmente aos mais jovens, mas também houve várias palestras sobre segurança alimentar, ética no desporto, ou programas do IPDJ para a juventude. Para os mais idosos, houve rastreios, dança, espetáculo circense e o circuito de atividades desportivas. Diversas modalidades estiveram presentes neste festival, como forma de experimentação para alguns, como o kempo, ténis, golfe, basquetebol, dança e ténis de mesa.

Espetáculo com a comunidade
Um dos momentos altos foi o sarau, subordinado ao tema do “Circo e onde os clubes e as associações do concelho apresentaram o trabalho que desenvolveram após a pandemia. Este ano o Acrotramp Clube das Caldas e as Danças de Salão de Santarém foram os grupos convidados. Na Praça de Santa Maria, a dança juntou-se ao vídeo mapping, num espetáculo que envolveu a comunidade local e que resultou de uma residência artística do promotor em Óbidos.
Durante os quatro dias houve animação de rua, com “ Arte Circense”, tendo as crianças tido a oportunidade de experimentar malabarismos. Os colaboradores da biblioteca municipal também apresentaram livros e artes performativas. Houve ainda percursos de bicicletas, slide, batismo de mergulho, aulas na piscina.
A organização do evento tentou também que algumas das provas distritais se realizem nesta altura, como aconteceu com a prova de natação, na tarde de sábado, que juntou perto de 200 atletas.
Margarida Reis destaca que este evento é feito a pensar sobretudo nos munícipes, com o objetivo de colocar todos a mexer. “Complementa o trabalho que é feito durante todo o ano, com as aulas de atividade física que decorrem semanalmente nas escolas, e também os idosos têm oportunidade de ir às piscinas municipais, pelo menos duas vezes por semana”, concretizou a autarca.
A vereadora com os pelouros do Desporto, Saúde e Bem-estar mostrou-se surpresa com a afluência de pessoas, durante o fim de semana a participar nas atividades, em família. “O festival já começa a entrar numa rotina, há pessoas que vão lá lanchar ao final da tarde, aproveitando as propostas de nutrição”, exemplificou.
Uma das preocupações da organização foi ter caixas de fruta e água disponível por todo o recinto para que as pessoas pudessem tirar e levar. ■

No túnel sensorial os mais novos experienciaram novas sensações como pisar pedras ou casca de pinheiro
As crianças divertiram-se nos kids karts, pequenos e sustentáveis carros elétricos