Cerâmirupe, de Alcobaça, é a maior exportadora de cerâmica do Oeste

0
298

Em 2019, a maior exportadora da fileira atingiu os 8,7 milhões de euros e foram 15 as empresas a exportar acima de 1 milhão. Exportações do setor cresceram 2,9% e Alemanha é o principal destino

O setor da cerâmica do Oeste exportou, em 2019, um total de 42,8 milhões de euros em valor, com um crescimento de 2,9% em relação a 2018. Esta performance foi atingida por 30 empresas com exportação, a maioria localizada no concelho de Alcobaça. Há 20 países entre os mercados destino mais importantes para estas empresas, mas o principal cliente da cerâmica Made in Oeste é a Alemanha.
A região encontrou na cerâmica ornamental e utilitária o filão para se reafirmar no mercado externo.
No topo das maiores exportadoras da região está a Cerâmirupe, Cerâmicas Lda, empresa fundada em 1987 na Castanheira, Alcobaça. Atingiu em 2019 um volume de exportações de 8,7 milhões de euros, correspondentes a 94,5% da produção.
Em segundo lugar neste ranking surge a Ceriart – Cerâmica Artistica, SA, da Ataíja de Cima, no concelho de Alcobaça, que atingiu 5,5 milhões de euros em exportações, 98,6% do seu volume de negócios.

As empresas da região exportaram 42,8 milhões de euros em valor em 2019, mais 2,9% que no ano anterior

O pódio é fechado pela SPAL, localizada no concelho da Nazaré. A empresa da fileira com maior volume de negócios na região, mais de 11 milhões de euros, viu as exportações quebrarem na ordem dos 15% para 5,8 milhões de euros, perto de metade do volume faturado.
A maior exportadora de cerâmica das Caldas da Rainha é a Faianças Bordallo Pinheiro, que é também a empresa da lista que mais subiu o seu comércio internacional (43,5%), para 2,7 milhões de euros, o correspondente a 43,5% do volume de negócios. A Bordallo Pinheiro é, ainda, a empresa deste top que menos depende do mercado externo.
Entre as maiores empresas do setor, são 15 as que exportaram acima de 1 milhão de euros e a maioria (10) apresentou crescimento.
A maioria destas empresas (10) são do concelho de Alcobaça, três são da Nazaré e duas das Caldas da Rainha.
Quanto aos países que mais compram a cerâmica do Oeste, a Alemanha é o principal de 13 das 15 maiores exportadoras da região, sendo os outros dois a Áustria, que em 2019 foi o principal destino das peças da Cerâmirupe. Estados Unidos da América, é, no entanto, o país que mais se repete entre os que mais importam produtos às diversas empresas do Oeste, com a França e a Dinamarca também em destaque. De resto, o rasto da cerâmica Made in Oeste espalha-se por todo o globo. ■