ACCCRO quer apostar em cursos de vitrinismo para dinamizar comércio

0
110
Os representantes da ACCCRO, patrocinadores e os dois primeiros classificados do concurso de montras

Associação quer ajudar comércio tradicional a ser mais atrativo para fazer face às crescentes dificuldades

A ACCCRO (Associação Empresarial das Caldas da Rainha e do Oeste) realizou, no passado dia 26 de maio, a entrega de prémios do concurso de montras integrado na programação de Natal. Esta foi a segunda edição do concurso, com incremento de participantes, e a associação quer apostar, agora, em cursos de vitrinismo que ajudem a dinamizar esta vertente.
O concurso de montras de Natal do Comércio Local teve como vencedora a Academia Profissional de Cake Design, com a Chocolateria Prazer e Vício em segundo lugar e a Bombondrice Chocolates e Bombons em terceiro.

Os representantes das escolas participantes no concurso das árvores de Natal

Luís Gomes, presidente da ACCCRO, afirma a importância da realização do concurso de montras associado ao evento de animação de Natal e vê, com agrado, que da primeira para a segunda edição do concurso houve um incremento de participantes. Em 2020, entraram no concurso 32 empresas, enquanto no ano passado o número subiu para 42. “Sem dúvida que foi importante voltar a fazer concurso, que é aberto a associados e não associados da ACCCRO, é mais um incentivo para fomentar a interação entre as lojas e o público” afirma o dirigente, acrescentando que foi possível observar “pessoas a fazer o roteiro do concurso de montras, o que comprova que é mais uma atratividade para o nosso Natal e para as lojas”.
O sucesso da iniciativa faz com que a associação esteja já a pensar em reativar os cursos de vitrinismo, de modo a melhorar ainda mais o trabalho que é feito no comércio local a este nível. Hoje o online é uma forma de promover os negócios, mas Luís Gomes defende que “a nossa cidade nunca pode perder esta característica de comércio tradicional”.
“Só o que precisamos nesta altura é de ter formandos, sentimos que as pessoas querem ter formação, mas também têm cargas horárias que torna difícil depois participar, porque são lojas com poucos funcionários, muitas vezes é o proprietário e um funcionário”, diz Luís Gomes.
O concurso de montras reforça o papel do evento de Natal na dinamização do comércio local como algo identitário das Caldas da Rainha e, à margem do concurso, Luís Gomes manifestou alguma preocupação por outra questão que está a afetar o comércio. “Estamos com um problema de rendas muito elevadas e começamos novamente a ter lojas vazias”, afirma.
O problema das rendas elevadas junta-se a um cenário de crise energética e de preços das matérias-primas que, em conjunto, estão a esmagar as margens e a colocar em causa a viabilidade dos negócios.
“Há lojas com valores de rendas proibitivos e, se nada for feito, há aqui uma ameaça de lojas começarem a fechar e de virmos a ter, no futuro, um tipo de comércio que não é a nossa identidade”, salienta o dirigente, apelando a medidas que possam combater este problema.
Além dos prémios do concurso de montras, a ACCCRO entregou, no mesmo dia, os prémios do concurso das árvores de Natal das escolas. Este teve como vencedor o Colégio Pica Pau Amarelo, com a EB de Nossa Senhora do Pópulo em segundo e o JI Os Koalas em terceiro. Mereceram, ainda, menções honrosas o Colégio Rainha D. Leonor, o JI de Santa Catarina e as EB da Foz do Arelho e da Lagoa Parceira. ■