Casa Felizardo abriu nova loja Bernina em Lisboa

0
293
Mário e Gonçalo Felizardo (3º e 5º à esquerda) na inauguração da loja com representantes da Suíça e da Bernina

Instalações suportam aposta de crescimento naquela zona do país

A Casa Felizardo, representante exclusiva das máquinas de costura Bernina em Portugal, abriu novas instalações em Lisboa, onde montou uma loja e um armazém para apoio à revenda. Um passo dado ao mesmo tempo em que a empresa, que em 2023 assinala 125 anos de existência, chegou à quinta geração.
Mário Felizardo, gerente da empresa caldense, explica que a necessidade de ter um espaço próprio na capital surgiu do crescimento das vendas naquela zona do país, que gerou igualmente a necessidade de dar um apoio maior aos clientes finais e revendedores.
“Antes vendíamos essencialmente ao público, hoje o nosso core business é a revenda, que fazemos para todo o país, mas estávamos a demorar mais tempo a colocar máquinas em Lisboa”, explica o empresário, acrescentando que, agora, os clientes e revendedores têm acesso facilitado ao material.
O responsável pela operação em Lisboa é Gonçalo Felizardo, 23 anos, que representa uma quinta geração na Casa Felizardo.
“Acabou de se formar em Engenharia de Gestão Industrial, no Técnico, mas decidiu abraçar o negócio da família e é ele que está em Lisboa”, conta Mário Felizardo, que não esconde orgulho por ver o filho prolongar a relação da família com a empresa que o bisavô, António Felizardo, fundou em 1898, e que foi liderada, depois, pelos avós Mário e Sara Felizardo e pelo pai, Francisco Felizardo.
A relação com a Bernina, fabricante suíço de máquinas de costura de gama premium, “que é a única a fabricar na Europa”, destaca Mário Felizardo, começou há cerca de 30 anos e a empresa caldense tornou-se importadora e representante exclusiva da marca.
Nos últimos anos, Mário Felizardo nota um crescimento do setor, com um empurrão dado pela pandemia, que levou as pessoas para casa e a procurar novas formas de passar o tempo. O conflito na Ucrânia trouxe novos problemas, com alguma falta de material para entrega. Mário Felizardo espera tempos de alguma incerteza, mas adianta que sente a empresa preparada.
O empresário também nota que há uma procura crescente por uma faixa etária mais jovem, criadores de vestuário, mas também pessoas que querem, apenas, ter roupas personalizadas.
A empresa mantém a loja nas Caldas da Rainha, na Rua General Queiroz, e o espaço de armazém na zona industrial, que recebe o material que segue depois para todo o país, e onde a empresa dá formação aos profissionais que com ela trabalham direta e indiretamente.
A Casa Felizardo garante 5 postos de trabalho, mas trabalha com cerca de 40 revendedores de todo o país e vende cerca de 1000 máquinas por ano.