Jorge Graça reconduzido como diretor do agrupamento D. João II

0
313
O diretor reconduzido por mais um mandato, Jorge Graça, e a presidente do Conselho Geral, Fernanda Barahona

Ao assumir o quarto mandato, Jorge Graça reiterou o compromisso pessoal e profissional com o agrupamento e com a comunidade escolar que abarca

Jorge Graça foi reconduzido, a 7 de julho, como diretor do Agrupamento de Escolas D. João II nos próximos quatro anos. Na cerimónia, o responsável destacou que o agrupamento, composto por 15 escolas, tem “uma identidade, com herança sólida, que precisa de continuar a expandir-se em relevância e reconhecimento alinhados com os tempos de mudanças aceleradas que vivemos”. Acredita num agrupamento “aberto à mudança, responsável e integrador através do contexto participativo e articulado de todos os intervenientes”, destacando o papel dos docentes e não docentes e representantes da comunidade escolar.
Há 12 anos a exercer funções como diretor deste agrupamento, Jorge Graça reforçou o seu “compromisso, o empenho e a motivação” para o próximo quadriénio, destacando que a “qualidade” será o atributo que continuará a enfatizar. Pretende continuar a motivar as equipas, reforçar as relações internas e externas, partilhar o saber e o conhecimento, e monitorizar e acompanhar a ação educativa. Neste mandato, quer também continuar a promover o desenvolvimento de aptidões e conhecimentos para uma utilização mais eficaz das tecnologias digitais. Entre os objetivos estão também uma melhor comunicação do trabalho feito para o exterior, a distribuição adequada de tarefas e a racionalização dos recursos e procura de outras fontes de financiamento, através da candidatura a projetos e parcerias com entidades externas.
O diretor destacou ainda a disponibilização de reforço alimentar, de forma a “atenuar” algumas situações de carência económica de alunos.
“Quando as duas vertentes “família” e “escola” partilham o ideal formativo e as expetativas de sucesso assentarem em torno de um projeto escolar, estarão reunidas as condições propícias para que os jovens atribuam sentido positivo à escola”, manifestou.
Fernanda Barahona, presidente do Conselho Geral, destacou que o agrupamento é uma referência no âmbito da intervenção precoce, oferece ensino especializado em Música e detém um protocolo com o Estabelecimento Prisional caldense. Atualmente é frequentado por cerca de 2100 alunos, desde o pré-escolar ao 3ºciclo, e conta com 190 docentes, dos quais 159 são pertencentes aos quadros, e 100 funcionários.
A também docente realçou ainda a promoção da Educação para a Cidadania em todos os níveis de ensino, as atividades e clubes disponibilizados, assim como a aprendizagem de quatro línguas estrangeiras (Inglês, Francês, Alemão e Espanhol). “Todas estas áreas temáticas vão, assim, ao encontro dos interesses dos alunos e contribuindo para o enriquecimento do currículo”, disse, dando nota da “complexidade e dinâmica” deste agrupamento. ■