Bazar à Noite fixou-se na Praça

0
93
Entre os vendedores, há um núcleo duro de cerca de 25 que “vão a todas”

Mercado Criativo decorreu a 23 de julho e volta a 20 de agosto. Iniciativa teve novos parceiros, como o CEERDL, e quer apostar na consolidação

A terceira edição do Bazar à Noite foi a mais florida de sempre. O mercado criativo, que voltou no passado sábado, começou a ser anunciado bem cedo pelos vendedores da Praça da Fruta. Às vendedoras da Praça, das lojas em volta e do próprio Mercado foram distribuídas coroas de flores, cedidas pelo Centro de Educação Especial Rainha D. Leonor (CEERDL) em especial para a iniciativa, o que contribuiu para um ambiente festivo e muito colorido.
Algumas das flores, além de decorarem o espaço, foram também distribuídas a quem visitou o certame, dedicado aos trabalhos de autor de áreas tão variados como design, artes, edição, ilustração, cerâmica, vidro, produtos biológicos, food design, artes plásticas e música.
No tabuleiro da praça, entre as 17h00 e as 23h30 estiveram 54 participantes a dar a conhecer e a vender as suas propostas criativas. “Metade dos participantes já faz parte do núcleo duro e participou nas três iniciativas”, disse Nicola Henriques, da Silos Contentor Criativo, acrescentando que o evento continua focado em dar a conhecer propostas de autor feitas na região Oeste. Para o dirigente, este ano as edições do Bazar são de “laboratório”, dedicado a experimentar e a melhorar recursos como, por exemplo, na iluminação nas bancas durante o serão.
“Queremos continuar a apostar em alianças com a comunidade”, disse o responsável, que gostaria que o Bazar estivesse plenamente consolidado em 2023.
C’ marie e Egrito e Kevin Claro foram os responsáveis pelo cartaz do evento na primeira e segunda edição, respetivamente, ao passo que a terceira convidada foi a autora Rubi Amarelo. O evento vai manter-se na Praça da Fruta, pois é no coração da cidade que a iniciativa se quer consolidar. “Queremos manter o mercado neste local e mantemos a ideia de contar com alguma extensão para locais próximos do tabuleiro”, disse Nicola Henriques, levantando a hipótese de, no próximo ano, apostar na realização de workshops sobre Mobilidade Suave em locais como a Capela de S. Sebastião, localizada ao cimo da Praça.
Nesta edição houve ainda a participação da Bicicultura, uma cooperativa dedicada à promoção do uso da bicicleta para transporte e lazer, e à construção de cidades sustentáveis. O coletivo Okupa, de alunos da ESAD, também marcou presença e trouxe atividades de animação de rua com divertidospalhaços e entreter o público dos mais pequenos.
O Bazar à Noite já se tornou numa marca caldense e, além dos locais, já é um motivo de atração de visitantes que vêm ao evento e que são de outras regiões. ■