Cadaval mostra património local nas comemorações do 25 de Abril

0
485

O 38º aniversário do 25 de Abril de 1974 vai ser celebrado no Cadaval com duas iniciativas de promoção do património local. Às 10h30 vai ser inaugurada a exposição “A minha terra, um património”, uma mostra colectiva dos trabalhos que participaram num concurso fotográfico promovido pelo Museu Municipal do Cadaval.
Pelas 15h00 irá ter início o percurso pedestre “Património Histórico da Serra de Montejunto”, inserido na iniciativa “Conhecer Cadaval” (iniciada nas comemorações do ano passado).
O objectivo é dar a conhecer o património existente em Montejunto (histórico, cultural, paisagístico e natural). A partida da caminhada será junto ao Centro de Interpretação Ambiental, com chegada à Real Fábrica do Gelo.
Antes disso logo de manhã, às 9h30 está marcada a cerimónia de hastear da bandeira nacional, junto aos Paços do Concelho, com a actuação da banda da Associação Filarmónica Cultural do Cadaval e a presença das entidades oficiais.
A exposição “A minha terra, um património” vai estar patente no salão nobre da Junta de Freguesia do Cadaval até 10 de Maio e pode ser visitada diariamente das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 18h00, com excepção das segundas-feiras e do feriado de 1 de Maio.
Mais de 90 fotografias, de 30 participantes no concurso, mostram o património cadavalense. A mostra conta com participações de fotógrafos do concelho do Cadaval, mas também de Bombarral, Caldas da Rainha, Lisboa e Leiria.
O primeiro lugar do concurso foi atribuído a Rita Faustino (Murteira, Cadaval), com a fotografia “Estoicamente aguentarei”, tirada na serra de Montejunto. Na segunda posição ficou Betty Costa (Pero Moniz, Cadaval), com a foto “Viagem no tempo”, feita na aldeia do Pereiro. Cláudio António (Cadaval) ficou em terceiro lugar, com a fotografia “Intemporal”, tirada em Montejunto. O júri atribuiu ainda uma menção honrosa a João Reis (Charco, Cadaval), pela foto “Sinais”, captada na localidade de Figueiros.Durante a inauguração irá decorrer também a cerimónia de entrega de prémios a todos os participantes, na presença do júri, constituído por dois fotógrafos profissionais, um técnico de comunicação, uma técnica de turismo e um antropólogo.
Algumas das fotografias concorrentes vão fazer parte de uma colecção de postais de divulgação do espólio patrimonial cadavalense.

“As Portas que Abril Abriu” no Bombarral

É com a inauguração da exposição documental “As Portas que Abril Abriu”, às 18h00 de 20 de Abril, no Museu Municipal que começam no Bombarral as comemorações do 38º Aniversário da Revolução de 1974.
A mostra reúne um conjunto de documentos que apresentam aos visitantes uma retrospectiva histórica de como era o Bombarral no período do Estado Novo e após a Revolução.
Na noite de 24 de Abril, a partir das 22h00, as actividades comemorativas vão ser no Teatro Eduardo Brazão, com uma “Evocação Histórica e Poética do 25 de Abril”, no qual participam Manuel Patuleia e Rute Brazão Correia, e uma “Recriação Histórica do Inicio da Criação do Concelho”, pelo Grupo de Teatro Amador “Os Lendários”.
Às 0h00 de 25 de Abril vai haver fogo-de-artifício e uma salva de morteiros na praça do Município. Pela manhã, às 9h30, vai ser hasteada a bandeira nacional na sede da Junta de Freguesia do Bombarral com a presença das entidades oficiais, da Banda Filarmónica do Círculo de Cultura Musical Bombarralense e da Fanfarra dos Bombeiros Voluntários do Bombarral.
A partir das 9h45 terá lugar, na praça do Município, a actividade desportiva “Brincar ao Atletismo”, organizada pela secção de atletismo dos Bombeiros Voluntários do Bombarral, e às 10h00 será também hasteada a bandeira nos Paços do Concelho, seguindo-se uma largada de pombos pelo Grupo Columbófilo Bombarralense.
O encerramento das comemorações do 38º Aniversário do 25 de Abril de 1974, organizadas pela Junta de Freguesia do Bombarral, acontecerá com uma sessão solene da Assembleia Municipal.

Pedro Antunes

pantunes@gazetadascaldas.pt