Centenas de pessoas no domingo para assistir à Rampa da Foz

0
232

Prova em cenário balnear é bastante elogiada pelos participantes

No domingo a Foz do Arelho foi o palco da 11ª edição da Rampa do Núcleo de Desportos Motorizados de Leiria, uma prova automobilística que já ganhou tradição e que, a cada ano, atrai centenas de espetadores para ver passar as máquinas das três categorias: os clássicos, os desportivos e os protótipos.
O cenário balnear, com vista para o Oceano Atlântico e para a Lagoa de Óbidos, é um dos grandes atrativos da prova, que tem início perto do cais e que termina na rotunda da Green Hill.
Nos vários pontos dedicados ao público os entusiastas dos motores vão-se juntando em grupos. O convívio é uma das imagens de marca deste evento. Há quem leve colunas para ouvir música, quem carregue geleiras com bebidas frescas e até quem aproveite para dar lume à grelha e assar umas bifanas. O que não se dispensa é mesmo a boa disposição!
Com a colaboração de São Pedro,a prova realizou-se num dia soalheiro, apenas com algum vento, o que também terá contribuído para a adesão do público.
De manhã realizou-se um briefing e a volta de reconhecimento, seguindo-se três passagens no percurso da rampa, a fundo.
Nos Clássicos a equipa vencedora foi a dupla Ruben Fialho e Daniel Sousa em BMW E30, seguida por Nelson Beato e André Costa em Citroën AX e de Tiago Prata em Mazda MX5.
Nos Desportivos ficou no primeiro lugar Igor Alexandre em Mitsubishi Colt EVO, em segundo Jorge Araújo e Rafaela Araújo em Peugeot 106 Maxi Kit Car e a fechar o pódio a equipa Gonçalo Boaventura e Rodrigo Silva em Peugeot 106 Rallye S2.
Já nos Protótipos venceu Luís Almeida em LBS LBS-RX01, no segundo posto José Lopes em Suzuki e no terceiro lugar Samuel Vina Isabel em Semog Bravo.
Na cerimónia de entrega de prémios e de lembranças para as escolas do concelho Pedro Alves, do Núcleo de Desportos Motorizados de Leiria, realçou o “dia esplêndido” para a realização da prova. “De manhã tivemos mais público e foi uma festa, correu tudo bem, com alguns incidentes de prova, mas sem consequências”, analisou.
Este ano o circuito teve uma pequena alteração, perto do final, que se ficou a dever “a problemas de asfalto” e que “obrigava a mais perícia dos pilotos”. E como, com este pequeno ajuste, “o traçado ficou bom”, para o ano deverá ser idêntico. “Já tivemos mais concorrentes, este ano tivemos sensivelmente o mesmo número do ano passado”, disse.
Já o vice-presidente da Câmara, Joaquim Beato, destacou o convívio e a paixão em torno dos automóveis e afirmou que esta prova “traz a Foz do Arelho para a ribalta”. ■