Comércio tradicional contribuiu para animar feriado

0
667

Foi um 15 de Maio muto animado o que se viveu no passado sábado. Ao contrário do que é habitual em dia feriado, a larga maioria das lojas da cidade abriram portas e participaram na segunda edição do “Comércio Sai à Rua”, mostrando no espaço público os seus produtos.
Com o dobro de estabelecimentos comerciais participantes em relação à primeira edição – mais de 80 – a iniciativa contou com dezenas de modelos a desfilar numa “passarelle” que se estendia por várias ruas.
Houve demonstrações de cerâmica ao vivo, pinturas faciais, aulas de ginástica, provas de bebidas, aulas de maquilhagem, feira da livro, num sem fim de propostas que animaram a cidade durante todo o dia.
Para o presidente da ACCCRO, João Frade, “a aposta foi ganha pois as pessoas estão a gostar muito da iniciativa”. O dirigente considera essencial que os comerciantes se juntem a estes eventos para que o centro da cidade seja cada vez mais vivo e atraia os moradores e os visitantes.
Há cada vez mais gente a incentivar a associação comercial para promover o “Comércio Sai à Rua” com mais regularidade, mas João Frade salienta que é preciso um grande esforço dos comerciantes para que este evento se realize e  que também não há interesse em banalizá-lo.
Ficou assim a intenção de que a iniciativa se realize duas vezes por ano. “Normalmente o comércio estava fechado no Dia da Cidade, mas este ano valeu a pena incentivar os comerciantes a abrir as suas portas”, afirmou João Frade.
Celebrar o aniversário no Dia da Cidade

O 15 de Maio foi também  um dia especial para algumas casas comerciais caldenses. A Livraria Loja 107 completou o seu 34º aniversário enquanto a loja de noivas Zelu celebrou 42 anos e o restaurante Sabores de Itália inaugurava o seu novo espaço na Praça 5 de Outubro.
Isabel Castanheira, da 107, não poderia estar mais contente. No dia anterior organizou, em parceria com o CCC, uma tertúlia literária com o investigador caldense, Luís Nuno Rodrigues e no sábado, acolheu dois projectos realizados com escolas.
Celebrar 42 anos é assinável para a casa de Noivas Zelu, empresa caldense   que está entre as primeiras do país “pois todas as grandes marcas que começaram por ter vestuário para noivas já terminaram”, explicou Paulo Agostinho, um dos responsáveis daquela firma que tem três lojas.
Na sua opinião, a própria cidade “deveria ter em conta e reconhecer as suas empresas que se mantêm tantos anos. Afinal elas também projectam o nome da cidade”.
Tendo em conta que se viveu uma semana com graves noticias a nível económico “foi bom organizar este evento pois hoje vê-se as pessoas na rua, alegres com as várias propostas”.