Editorial – Gazeta das Caldas, 94 anos de vida

0
1233
| D.R.

Gazeta das Caldas comemorou no passada terça-feira, dia 1 de Outubro, o 94º aniversário da primeira vez que uma edição foi distribuída aos leitores das Caldas da Rainha, constituindo por isso um dos baluartes da imprensa regional portuguesa com mais longevidade, mesmo o mais antigo jornal do distrito de Leiria e da Região Oeste.
Por isso mesmo, Gazeta das Caldas já faz parte do conjuntos dos jornais regionais pré-centenários, que se juntarão dentro de alguns anos, mais concretamente seis, aos jornais centenários portugueses que são hoje apenas 35 entre diários, semanários e mensários de circulação nacional e regional.
Este facto constitui uma marco histórico deste jornal a nível nacional, mas também regionalmente se junta o facto de se tratar de uma das empresas mais antigas da cidade e a laborar desde 1925.
A imprensa escrita está a enfrentar grandes desafios resultantes, quer da transição tecnológica, com a emergência da concorrência digital e com o decréscimo da leitura em papel pelas gerações mais jovens, como pela diminuição de receitas publicitárias decorrentes da possibilidade dos entidades públicas e das empresas transmitirem as suas mensagens informativas autonomamente também através da internet.
Estas ameaças, que levaram ao desaparecimento já de muitos jornais, impuseram aos que se mantêm na luta, grandes alterações estratégicas e atitudes de fidelização dos leitores, especialmente dos assinantes, como dos anunciantes, que mantêm a confiança nos jornais.
Ainda com esta edição o leitor vai ser confrontado com o novo formato da Gazeta das Caldas, dado que o papel que permitiu fazer o jornal até agora foi descontinuado, passando este formato a ser a regra da maioria dos jornais nacionais.
Gazeta das Caldas tem enfrentado nestes anos uma dura prova de resistência, a que se têm associados os seus assinantes, leitores e anunciantes, como os trabalhadores que não têm desistido, tendo o jornal sido obrigado a encarar alterações de estilo e de forma em chegar até aos leitores, tendo mesmo iniciado já há alguns anos a publicação de uma edição digital.
Contudo, esta nova oferta não chega, pelo que o jornal terá de aprofundar a sua presença na internet e nas redes sociais, com uma informação mais presente e efectiva, que possa manter uma ligação com os seus leitores a todo o tempo e não apenas de forma semanal.
Por isso se associou a um projecto com outros jornais, com vista a partilhar experiências e resultados, que possam enriquecer a capacidade de acção e o músculo do jornal, captando novos públicos, novos anunciantes e novas receitas.
Também, nesse sentido, constituiu desde há algumas anos algumas parcerias com colegas de outras regiões do país, em que não existe uma concorrência directa, até porque os públicos são diferentes e complementares, como se pode provar com a divulgação feito ontem através da internet de uma sondagem nacional para as eleições legislativas, com apresentação também das previsões para o círculo de Leiria.
A sua divulgação é feita através da internet dado que não era possível concluí-la em tempo que permitisse a inserção na edição de papel, uma vez que os dados recolhidos respeitavam às últimas intenções na semana anterior à votação.
Igualmente, nos últimos anos, o jornal tem diversificado a sua oferta de publicações editorais, bem como de obras de arte e artesanato, a exemplo do que acontece em todo o mundo, que permitem ao leitor chegar a novos produtos de referência cultural e que valorizam as regiões onde se inserem.
Também, como o fez no passado sábado com a realização da Grande Regata no Parque D. Carlos I, que juntou centenas de pessoas, tem realizado eventos com que irá multiplicar nos próximos tempos a sua presença no espaço público, com vista a alargar a sua influência junto dos leitores e anunciantes.
Por tudo isto no início de Outubro de 2019 quando caminhamos empenhadamente para o centenário, Gazeta das Caldas diz presente nas Caldas da Rainha e na Região Oeste, como junto de todos os habitantes desta região espalhados pelo mundo, comprometendo-se a querer continuar a singrar e a viver com o desenvolvimento da região e ser parte e protagonista da mesma!