Época balnear começou timidamente na Foz do Arelho

0
67
No primeiro dia da época balnear deste ano via-se pouca gente no areal da Foz do Arelho

A época balnear iniciou-se no passado sábado, num dia agradável, mas com pouca gente no areal da praia caldense

No passado sábado, dia 15 de junho, iniciou-se a época balnear, que se vai estender até ao dia 15 de setembro.
Na Foz do Arelho o primeiro dia da época balnear deste ano trouxe uma temperatura agradável e sol, com pouco vento, que se fazia sentir, mas que durante grande parte do dia não afectava os banhistas.
A água e, em particular, a relação entre a temperatura da água e a exterior, não causava choque na entrada e viam-se alguns corajosos a nadar ou a banhar-se.
Havia bandeira amarela na zona do mar e, como é costume, bandeira verde na zona da lagoa, que é sempre apreciada pelas famílias com crianças, dada a calma das águas. Impossível também não notar o assoreamento da lagoa junto à ligação com o oceano Atlântico, a “aberta”, apresenta uma ligação frágil.
Ainda assim, a Foz do Arelho é sempre bastante procurada, especialmente nos meses de verão. Os seus acessos e estacionamento, bem como os serviços complementares, são um dos atrativos. Depois, o facto de ser uma praia que tem o mar, mas também a lagoa, é uma grande mais-valia. No primeiro dia da época balnear deste ano as esplanadas mostravam-se bem compostas e viam-se algumas pessoas a passear.
No areal, após uns mergulhos, encontramos Lourenço Cerqueira, que veio do Entroncamento com a namorada, as duas filhas do casal e a irmã da namorada, de propósito para virem à praia da Foz do Arelho. “Já tínhamos vindo mais vezes e gostamos muito, tem a lagoa, que é muito calma, é bom para as crianças”, explica. “Decidimos vir dar um passeio e fazer um dia de praia e está a ser muito bom para relaxar”, acrescenta. “O dia está agradável”, analisa, frisando que o vento só atrapalha mesmo na saída da água. “A temperatura da água está bastante razoável”.

Lourenço Cerqueira diz ainda que a Foz do Arelho “é uma boa opção para passar férias” e elogia “a tranquilidade” que encontra. “Temos espaço, as pessoas não estão todas amontoadas”, repara. “Este sossego vale ouro”, complementa, entre sorrisos.
A família veio para a praia de manhã e por ali ficou durante todo o dia, até regressar ao Entroncamento.
Aproveitamos para falar com Ofélia Gomes, que há cerca de 40 anos aluga barracas na praia da lagoa da Foz do Arelho. Este ano vão montar cerca de 50. “São muito menos do que já foram”, refere, explicando que já tiveram mais do dobro. “Não há clientes para tanto”, lamenta. Além das barracas, vende jornais, revistas e livros, raspadinhas, brinquedos e acessórios de praia, entre outros.
As barracas custam 9 euros ao dia ou 7 euros ao dia quando alugadas à semana. “Já não há quem tenha aqui a barraca à época”, conta, detalhando que a procura se divide entre caldenses e quem venha de outras localidades do país e do estrangeiro.
No último ano fizeram algumas melhorias, como a criação de uma arrecadação coberta para as estruturas das barracas e a pintura.

Quiosques e navegação
Os novos quiosques na Avenida do Mar deverão ser colocados no final do mês de junho, explicou à Gazeta o presidente da Junta de Freguesia da Foz do Arelho, Fernando Sousa.
A Capitania do Porto de Peniche informou também que está interdita a navegação a qualquer embarcação (inclui a prática de desportos de deslize) na Lagoa de Óbidos, a jusante do alinhamento determinado pela linha imaginária definida a Norte pelo Cais da Foz do Arelho e a Sul pelo parque de estacionamento da Aldeia dos Pescadores no Bom Sucesso. Ou seja, a proibição vigora entre essa linha e a “aberta”, sendo a violação da medida punível com coimas dos 400 aos 2500 euros. ■