Filipe Marques renunciou ao cargo na presidência dos Bombeiros da Benedita

0
106

Protesto dos bombeiros impediu a tomada de posse de Filipe Marques, que foi obrigado a renunciar. Novas eleições ainda sem data marcada

Foi no dia 1 de outubro, e após sucessivos adiamentos, que se realizou a assembleia para eleger os novos órgãos sociais da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Benedita. Duas listas concorreram: a lista A, encabeçada por Filipe Marques, que venceu com 67 votos e a lista B, encabeçada por Alice Moura Lourenço, que reuniu 55 votos.
Só que após o ato eleitoral iniciou-se um protesto por parte dos bombeiros da corporação, que não queriam que a direção eleita tomasse posse. Entre os motivos para esta tomada de posição estava o facto de a lista ser composta pelos mesmos elementos que a direção anterior da associação, havendo apenas uma rotação de cargos.

Eleições decorreram a 1 de outubro, seguindo-se protestos

O grupo contestatário, que depositou os 26 capacetes em frente ao quartel, ameaçou entrar no quadro de reserva caso a lista eleita tomasse posse.
Na noite de 4 de outubro realizou-se uma vigília em frente ao quartel. Filipe Marques tentou perceber quais as condições necessárias para tomar posse, mas a única solução para o grupo de bombeiros era que tal não ocorresse.
Já no dia 9 de outubro Filipe Marques renunciou publicamente ao cargo, porque, conforme explicou à Gazeta das Caldas, “nunca seria um problema para esta instituição”. Filipe Marques diz-se profundamente “triste e desiludido com esta situação”, lamentando que uma eleição democrática não seja respeitada.

Filipe Marques renunciou ao cargo a 9 de outubro

Numa carta aberta que publicou nas redes sociais revelou que antes desta decisão, reuniu “com vários representantes dos Bombeiros para os ouvir e para que de forma construtiva, e em equipa, conseguíssemos definir um rumo que respondesse às suas preocupações e que acima de tudo protegesse a Instituição. Não me demonstraram abertura para o diálogo e adotaram uma postura completamente intransigente”.
Filipe Marques disse também que nos últimos anos tem apoiado os bombeiros da Benedita, “quer enquanto cidadão individual através de donativos quer enquanto membro suplente na anterior Direção” e refutou as acusações de que tem sido alvo. “As acusações que me dirigiram são falsas, colocam em causa os valores que sempre defendi e afetam negativamente não somente a mim, mas também à minha família”, afirmou, condenando “os que se aproveitam dos seus cargos e das suas posições para se destacarem publicamente esquecendo-se que estão a prejudicar o bom nome de uma instituição como os Bombeiros Voluntários da Benedita e a comprometer a sua credibilidade e funcionamento futuro”.
Na carta aberta que publicou nas redes sociais, o candidato mais votado no ato eleitoral concordou ainda com algumas das reividincações dos soldados da paz, nomeadamente ao nível da formação.
Gazeta das Caldas tentou perceber quando se irão realizar novas eleições nos corpos sociais da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Benedita, mas à data de fecho desta edição ainda não estava definida nova data. ■