Semana Santa em destaque nas Jornadas da Misericórdia

0
997
2016-05-06 Primeira.inddA Semana Santa e o contributo social e cultural das procissões junto da população será o mote das III jornadas de museologia que decorrem hoje, 6 de Maio, no auditório da Casa da Musica, numa organização da Misericórdia de Óbidos e a União das Misericórdias Portuguesas (UMP). O evento, que contará com a presença de cerca de uma centena de instituições, será encerrado pelo Cardeal Patriarca, D. Manuel Clemente.
 
Fátima Ferreira
A Semana Santa, cartaz turístico-religioso mais antigo da vila e que desde a década de 60 extravasou as fronteiras portuguesas, é organizada anualmente pela paróquia, autarquia e Santa Casa da Misericórdia de Óbidos, sendo esta última a detentora de todo o património que é utilizado nas celebrações. Hoje esse património estará em destaque nas jornadas que contarão com a participação de vários responsáveis de instituições que também realizam a Semana Santa por todo o país. De acordo com o provedor da Misericórdia de Óbidos, Carlos Orlando, cada vez mais estes eventos estão a fomentar um turismo religioso que “leva a um desenvolvimento local e alteração social e económica da comunidade obidense”.  A vereadora Celeste Afonso revelou que a autarquia anda há cerca de ano e meio a fazer um levantamento exaustivo acerca da Semana Santa de Óbidos para fazer a sua classificação na matriz nacional. “Estamos no processo final dessa classificação, pelo que para nós fazia todo o sentido participarmos no encontro e abordarmos o património imaterial”, salientou na conferência de imprensa que decorreu em Óbidos. Tendo em conta o rico e vasto património das cerca de 400 misericórdias activas em Portugal, a União das Misericórdias Portuguesas constituiu um gabinete do património cultural, coordenado por Mariano Cabaço. Até ao momento foram inventariadas cerca de 80 misericórdias e só de arte móvel já foram registadas cerca de 27 mil peças. “Feito este levantamento, no caso concreto das cerimónias da Semana Santa, temos presente que cerca de 120 das 400 instituições existentes no país, organizam e integram-se nas cerimónias”, referiu o responsável. As jornadas pretendem também despertar os detentores deste património para que olhem para ele com uma função social e educativa e contribuam para a identidade local das comunidades. Em destaque, durante o evento, estará também a criação de um museu virtual das misericórdias portuguesas para mostrar o espólio de que estas são detentoras. O levantamento e o plano estão feitos, estando a União das Misericórdias agora a aguardar a abertura das candidaturas a fundos comunitários para concretizar o projecto. “Um museu virtual tem que mostrar e dar esta visão interessante da fundação e a expansão das misericórdias pelo mundo”, defendeu Mariano Cabaço, acrescentando que este deve também dar enfoque ao conceito arquitectónico do complexo da Misericórdia, que tinha sempre ligado entre si a igreja e o Hospital e, em alguns dos casos, a Casa do Despacho. Será também feita referência à prática das obras de caridade, ao fenómeno das doações e ao legado que veio à posse destas instituições.
À semelhança de outros museus virtuais, este irá permitir que o visitante que acede ao museu virtual possa ter links para visitar a Misericórdia de Óbidos ou outras que queiram integrar o projecto. As jornadas serão encerradas com um concerto pelo pianista obidense Rui Rodrigues, na Igreja da Misericórdia.