Academia de Música encerrou ano em festa

0
65
Um final com todos os alunos e professores em palco para interpretar uma canção dos Queen

Perto de uma centena de alunos da Academia de Música das Caldas subiram ao palco do CCC para mostrar a paixão que sente pela música. Há verdadeiro talento entre intérpretes miúdos e gráudos.

O CCC acolheu a festa de final de ano letivo da Academia de Música das Caldas, no serão da passada quinta-feira, 21 de julho.
Com a apresentação de João Carlos Costa, o espetáculo deu a conhecer aos familiares e amigos como a música é algo importante para os alunos desta escola, que abriu as suas portas há uma década.
O espetáculo contou com a participação dos sete professores da Academia, presentes na larga maioria das apresentações dos alunos, acompanhando ou até mesmo fazendo parte das atuações, dando-lhes assim a confiança necessária para atuar no gigante palco da maior sala de espetáculos da cidade. Um dos mais interessantes aspetos da noite foi as idades dos atuantes. Os mais pequenos, com idades de 3 e 4 anos, surpreenderam o público e, entre os artistas, ninguém se assustou ou apresentou medo de palco. Nem mesmo quando o apresentador lhes pedia para voltar à frente para voltar a agradecer ao público os aplausos, pois quando o fizeram da primeira vez, as luzes ainda estavam apagadas.
Mas não foram só os pequenos executantes que fizeram os principais momentos. Jovens de todas as idades tocaram piano, violino, guitarra, baixo, bateria, entre outros instrumentos, exibindo excertos de temas que têm aprendido nesta academia.
Além dos executantes, foram vários os cantores que mostraram talento, entre jovens e adultos, portugueses e estrangeiros, que causaram excelente impressão em quem assistiu a esta festa. Houve alguns momentos a solo, de dois violinos e de voz e piano. Pelo palco do CCC passaram interpretações de um repertório muito variado, que percorreu estilos musicais clássico, tradicional, jazz, pop e rock.
Os momentos de atuação individual foram alternando com apresentações de bandas, com vários alunos e alguns professores a interpretarem músicas portuguesas e internacionais, muitas das quais na moda como foi, por exemplo, uma versão do tema “Zitti e Buoni” do grupo italiano Maneskin, que se dedica ao rock. Esta foi a oportunidade de ouvir versões de canções de grupos como The Cranberries, Billie Eilish e de Pearl Jam, entre outros.
Durante o espetáculo, as canções na língua de Camões também fizeram o público a abanar o pé e cantar alguns dos refrões de temas dos Amor Electro e outras do cantor Fernando Daniel, o vencedor do programa televisivo The Voice de 2016 que, agora, consolida carreira em nome próprio.
Todos os participantes estiveram em muito bom nível artístico e receberam efusivos aplausos, fosse qual fosse o género da proposta musical.
Este foi um serão onde a música foi rainha e onde os participantes mostraram que há talento para a música e que este é levado muito a sério na Academia de Música das Caldas.
No final, alunos, docentes, familiares e responsáveis pela escola estavam muito satisfeitos pelo regresso aos espetáculos presenciais, algo que já não se faziam desde 2019, por causa da pandemia. “Desde então, as audições e as apresentações para as famílias têm sido feitas on line”, disse Rui Tavares, um dos responsáveis pela Academia que abriu ao público em 2012.
Neste evento atuaram 90 alunos das cerca de duas centenas de estudantes que a escola serve atualmente e que aprendem vários instrumentos e voz com os sete docentes.
“Temos músicos profissionais e alguns dos docentes que também ensinam noutras escolas”, comentou Rui Tavares, admitindo que, em 2023, já possa ser possível voltar ao formato de apresentações a que a escola recorre e que inclui apresentações também na Páscoa e no Natal. Estas duas são feitas em locais mais pequenos, pois a de final de ano letivo continua a recair no CCC.
A celebrar a sua primeira década, a Academia de Música das Caldas tem o seu projeto consolidado. “Respeitamos muito os gostos do aluno e, por isso, ensinamos desde a música clássica até ao heavy metal, começando pelo início, com a formação musical”.
O espetáculo no CCC fechou com a interpretação de “The show must go on”, que contou com a presença de todos os alunos e docentes em palco. Atuaram Jéssica Cipriano (voz), Jorge Henriques (baixo), Daniel Marques (guitarra), Ivo Santos (bateria) e ainda Yann Mateus e Cristina Norberto (no piano). ■