Arte urbana de João Olivença também chega aos campos desportivos

0
326

O caldense dedica-se ao graffiti em grande escala para as paredes da cidade e também para habitações, bares e campos de basquetebol e voleibol

João Olivença é o autor dos vários rostos de Rafael Bordalo Pinheiro, espalhados em várias zonas da cidade das Caldas da Rainha. O primeiro surgiu nas proximidades do Parque, no edifício do Restaurante Gordão. Foi em 2012 que o caldense, com a ajuda de uma familiar, pintou a parede lateral daquele edifício, que se encontrava cheia de rabiscos.
A pintura bordaliana acabou por reabilitar o espaço e chamou a atenção sobre este autor que se diz freelancer na área do graffiti. O artista, de 31 anos, é também professor de atividades lúdico-expressivas nas escolas do 1º ciclo e ainda trabalha na área da restauração.
Formado em Artes Plásticas na ESAD, João Olivença é hoje um dos impulsionadores da arte urbana no Oeste pois soma no currículo vários trabalhos de grande escala presentes em paredes das várias zonas da cidade assim como extensos trabalhos no skate parque das Caldas e em campos de desportos caldenses e obidenses.
João Olivença mostrou interesse pelas artes desde miúdo, sobretudo para a pintura, street art e ilustração. O autor explicou à Gazeta das Caldas que, normalmente, começa por esboçar os trabalhos no computador e só depois é que os “passa” para as paredes ou telas. Muitas das propostas de desenho e ilustração são feitas à mão livre e, de vez em quando, também utiliza a técnica do stencil.

Entre os trabalhos que já realizou contam-se vários tipos de propostas: um dos primeiros foi executado no interior de um bar. Seguiu-se o exterior de em lar de idosos em Geraldes (Peniche), somando também trabalhos específicos em casas particulares e em surfcamps.
Um dos que lhe deu particular gozo, ainda no início do seu percurso, foi um camião de longo curso com vários metros de comprimento e que fez circular a sua pintura relacionada com o Zé Povinho por toda a Europa.
Os seus desenhos vão de Peniche a Leiria, mas a principal procura pela sua arte urbana está nas Caldas e em Óbidos.
Entre os últimas propostas, destaca “os campos de voleibol, basquetebol” e os “dois últimos rostos” que realizou dedicados a Rafael Bordalo Pinheiro, explicou o autor que domina a arte dos sprays. Sobre Bordalo, o primeiro captou-lhe o interesse “pela escala que atingiu”, mas apreciou sobremaneira o último, que agora decora a fachada da Loja do Ceramista, pois, para além do rosto de Bordalo, ainda retratou alguns dos seus azulejos mais conhecidos.
“Deu-me gozo fazer esta pintura por ter usado a parte danificada da fachada o que deu um resultado final muito interessante”, salientou o caldense. Por um lado, João Olivença gostaria de poder viver do trabalho artístico. Por outro também gosta de ter trabalhos noutras áreas e assim “jogar pelo seguro”. Diversificando a sua atividade, assegura a sua estabilidade financeira.
Em breve, João Olivença vai criar um projeto com Filipe Faleiro, unindo num mesmo projeto a arte urbana e a cerâmica. ■