Bom dia Cerâmica! salienta setor nos concelhos da região Oeste

0
120
Foram feitas visitas às coleções que estão nas reservas

Oficinas e museus de cerâmica abriram portas para contacto mais próximo com público

A câmara das Caldas possui nas reservas dos ateliês-museus várias coleções que têm sido adquiridas nos últimos anos. No sábado, 15 de maio, foi possível visitar as aquisições feitas da Fábrica Secla, assim como a coleção Maldonado Freitas e de Arte Popular que a autarquia tem, neste momento, nos pisos subterrâneos do museu Barata Feyo. A Gazeta das Caldas acompanhou um dos primeiros grupos inscritos para conhecer uma seleção das seis mil peças que o município adquiriu da Secla no Bom dia Cerâmica!.
A visita foi conduzida por Marta Pereira do Centro de Artes que deu a conhecer que entre as peças de Arte Popular se contam peças de 55 oleiros de 44 localidades de todo o país e na barrística contam-se 34 autores de 17 terras com destaque para as produções de Estremoz, Avintes, Açores e Barcelos.

No dia seguinte, 16 de maio, os jardins do Museu de Cerâmica abriram para um evento de venda e de trabalho ao vivo que contou com a participação de vários ceramistas da Associação de Artesãos das Caldas. Nalguns espaços os ceramistas organizaram ações de formação e no Centro de Artes decorreu uma oficina para pais e filhos.
Durante o fim de semana multiplicaram-se as iniciativas, não só nas Caldas mas também nos concelhos vizinhos de Óbidos e Alcobaça. Os ceramistas abriram as oficinas, lojas e alguns reuniram-se para dinamizar eventos ao ar livre.
Estes eventos fizeram parte do Bom dia Cerâmica! uma iniciativa europeia, lançada há alguns anos pela Associação das Cidades Cerâmicas italiana.
Em Portugal associaram-se as 18 cidades cerâmicas e vilas portuguesas que compõem a Associação Portuguesa de Cidades e Vilas de Cerâmica (APTCVC), e que, apesar da pandemia, pretende reforçar imagem da cerâmica no país.
Nas Caldas da Rainha, o Bom dia Cerâmica! terá contado com a participação de uma centena de pessoas nos vários eventos. No entanto, fica a nota de que este, e outros eventos similares, necessitam de uma aposta na comunicação atempada, pois o público não afluiu às iniciativas propostas. ■