Diga 33 e Teatro da Rainha com novas apresentações

0
118
Os próximos convidados serão Francisca Camelo e João Pedro Azul

O grupo de teatro residente e o ciclo de poesia que decorre no seu espaço têm novas sessões

O ciclo de poesia Diga 33 já retomou as sessões presenciais que decorrem às terças-feiras, na sede do Teatro da Rainha, na Praça da Universidade.
Esta terça-feira, dia 18, os convidados serão Francisca Camelo e João Pedro Azul. Segundo nota sobre aquela sessão poética afirma-se que “Francisca é, entre as novas vozes da poesia portuguesa, uma das mais seguras e acutilantes”. Estudou Artes Visuais e Psicologia na Universidade do Porto e tem poemas publicados em diversas revistas, tais como Enfermaria 6, Flanzine, Tlön. É co-fundadora de A Bacana, plataforma on-line de divulgação de literatura e arte. Publicou os livros “Cassiopeia” (2018), “Photoautomat” (2019), “O Quarto Rosa” (2019), semifinalista do Prémio Oceanos 2019, e “A Importância do Pequeno-almoço” (2020).
Por seu lado, João Pedro Azul é formado em Teatro — Interpretação pela Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo, tendo trabalhado nas áreas da dramaturgia e encenação. Este autor é coordenador da revista Flanzine e editor da Flan de Tal. Publicou o primeiro livro de poesia em 2020, “Um Cavalo Sentado à Porta”.
Em conjunto com o ilustrador João Concha, assinou o “Livro do Amo” (2015, Plano Nacional de Leitura). É pós-graduado em Gestão de Atividades Artísticas, Culturais e Educativas, frequentou o Mestrado de Multimédia da Universidade do Porto.
Nestas sessões, a conversa e leituras são os ingredientes essenciais, mas nunca se sabe o que poderá acontecer”, informa nota de imprensa. Nela acrescenta-se que “o palco abre-se ao público e o público faz parte do palco”. Neste mês de maio já houve uma sessão a 11 de maio onde participaram o poeta Miguel Cardoso e o escritor Rui Manuel Amaral. As entradas estão condicionadas aos lugares disponíveis, uma vez que a lotação é reduzida. A reserva de lugar é obrigatória.
Entretanto, o Teatro da Rainha tem em cena a peça “Terra Natal” e tem previstas apresentações, entre as quinta-feiras e sábados, até ao dia 29 de maio.
Neste espetáculo, o encenador Luís Varela juntou duas peças curtas do escritor australiano Daniel Keene: “A Chuva” e “Terra Natal”.
A primeira peça evoca o holocausto nazi colocando em cena uma mulher idosa que conta como, quando era jovem, as pessoas que embarcavam nos comboios lhe confiavam os objetos que amavam.
Em “Terra Natal” assiste-se ao conflito entre diferentes gerações de uma família. Sobressai a pressão entre o pai em vias de ficar desempregado e filho adolescente, prestes a entrar na vida adulta. A peça é presentada às 19h30 às quartas e quintas-feiras e às 20h30 às sextas e aos sábados.
As primeiras apresentações de “Terra Natal” nas Caldas da Rainha já esgotaram, dado o interesse do público. ■