Pinturas de Leonardo Rito no Moinho que é sede da União de Freguesias

0
89
A mostra é composta por um tríptico com três pinturas de grandes dimensões, uma em cada piso do edifício | D.R.

A exposição Untitled Limbo 1 – O Recebido, da autoria de Leonardo Rito, é a mais recente mostra da Ataráxia, do coletivo Electricidade Estética, no moinho que é a sede da União de Freguesias de Santo Onofre e Serra do Bouro. Dado o confinamento, a mostra de pintura é apresentada nos meios digitais

Foi inaugurada, na passada terça-feira, 26 de janeiro, a exposição de pintura “Untitled Limbo 1 – O Recebido”, da autoria de Leonardo Rito, patente no Espaço Moinho, na sede da União de Freguesias de Santo Onofre e Serra do Bouro.
A mostra é constituída por um tríptico com três pinturas de grandes dimensões (uma em cada andar do edifício) e vários conjuntos de telas mais pequenas (algumas com, por exemplo, cinco por sete centímetros).
“O Leonardo Rito é sempre bastante simbólico no seu trabalho e esta exposição vem no seguimento dessa linha de trabalho”, explicou Patrícia Faustino, da Electricidade Estética, o coletivo que é responsável pela dinamização do Espaço Moinho e também pela organização de vários eventos de arte contemporânea na cidade termal. A mostra “remete para temas populares e religiosos, mas também para o pop”, realçou Patrícia Faustino.
Dado este novo confinamento decretado pelo Governo, a segunda mostra do Espaço Moinho (que foi inaugurado em dezembro de 2020, com a exposição “A mais contínua de todas as formas”, da autoria de Ana Battaglia Abreu) não será visitável, nem por marcação, mas será possível apreciar as obras desenvolvidas por Leonardo Rito através dos meios digitais da Electricidade Estética.
A mostra tem ainda a particularidade de ter tido a curadoria de João Santos, diretor da Escola de Artes e Design das Caldas (ESAD), onde o autor da exposição tirou o mestrado em Artes Plásticas.

Coletivo prepara Kornea Attack
O coletivo Electricidade Estética está já a preparar o próximo evento a apresentar. Trata-se do Kornea Attack, que costuma realizar-se no Centro de Artes e noutros espaços do centro histórico da cidade. “Como se trata de um evento para os projetos de vídeo será exequível apresentá-lo online”, fez notar Patrícia Faustino.
Depois, o coletivo gostaria de assinalar o último evento com público que organizaram antes da pandemia (o Gato Vermelho, em março de 2020) com um evento que una a pintura, a performance, a escultura e outras artes. O objetivo é que este decorra nas Salas Cinzentas da antiga Casa da Cultura e a organização gostava que fosse possível estar presente por convite, mas essa é ainda apenas uma possibilidade. ■