Futebol: Caldas vai a jogo desfalcado, mas confiante no triunfo

0
69
O Torreense não facilitou defensivamente e soube explorar o adiantamento defensivo do Caldas

José Vala quer a equipa tranquila para poder desenvolver o melhor futebol e ausências não serão condicionante

O Caldas-Loures deste domingo (17h15) não decide quanto à subida à Liga 3, mas pode impedir que pelo menos uma das equipas tenha hipóteses de a discutir. É, por isso, um jogo que de tudo ou nada que “vai decidir o resultado desta época”, disso o treinador do Caldas, José Vala, não tem dúvidas.
O técnico garante que a equipa vai responder em campo e encarar o jogo como uma verdadeira final. “Sabemos, nós e o Loures, que cada equipa só depende dela própria, por isso vamos com tudo”, garante. José Vala diz que a goleada sofrida em Torres Vedras não vai, nem pode, deixar feridas na mente dos jogadores. Mas o jogo deixou marcas, com a expulsão de Leandro Borges e as lesões de Simões e de Passos, que se juntaram a um boletim clínico carregado com jogadores nucleares no processo defensivo.
“Isso não vai servir de desculpa, vamos encontrar soluções dentro dos disponíveis e penso que todo o grupo está preparado para entrar dar tudo”, acredita José Vala.
José Vala quer o grupo tranquilo e não com pressão. “Essa tem que estar do lado do Loures e do Sintrense, porque eles é que têm estruturas profissionais”, refere o técnico, que acredita que se a sua equipa tiver essa tranquilidade em campo, terá mais hipóteses de sucesso.
Saldo positivo
Ao longo da sua história, o Caldas já foi obrigado a jogar o tudo ou nada no derradeiro jogo da época, tanto para decidir subidas de divisão, como descidas. Mas o saldo é bastante positivo. Nas sete partidas de tudo ou nada, os pelicanos tiveram sucesso em cinco ocasiões e apenas em duas saíram sem motivos para sorrir.
Na história mais recente, curiosamente, José Vala estava no banco de suplentes nas últimas duas partidas decisivas. Na temporada 2008/9, enquanto adjunto de Gila, viu o Caldas garantir uma manutenção nos nacionais que parecia perdida a duas jornadas do fim. Quatro anos depois, o técnico foi chamado, já com a segunda fase a decorrer, para tentar o ingresso no Campeonato Nacional de Seniores, que juntaria a 2ª e a 3ª divisões. Na última jornada, Caldas e Oliveira do Hospital jogavam o acesso e tentavam fugir aos distritais. O empate bastou ao Caldas, mas na retina ficou uma salvadora defesa de Luís Paulo, nos minutos finais do encontro.
Como jogador, esteve ainda no duelo com o Académico de Viseu para apurar quem subia à atual Liga 2. Ao Caldas só a vitória interessava, mas um golo de Besirovic aos 80’ acabou com o sonho do Caldas. José Vala já tinha substituído, aos 54’, para dar lugar a Pedro Alberto. ■