Aviário do Pinheiro, SA é o maior empregador do Cadaval

0
116
A Aviário do Pinheiro, SA situa-se em Pragança e dedica-se à criação e abate de aves

O Cadaval é um concelho no qual a ruralidade é uma das principais características, reconhecido pela sua produção agrícola, sobretudo nas vertentes da fruticultura e também da produção de vinho, setores nos quais o trabalho tem uma componente de sazonalidade forte.
Apesar disso, o concelho tem um tecido empresarial com algumas empresas de grande dimensão, que oferecem postos de trabalho com maior estabilidade.
Desse lote, a Aviário do Pinheiro, SA é a maior empregadora do concelho. Segundo dados da Iberinform, em 2019, reuniu uma força de trabalho de 138 pessoas.

A Aviário do Pinheiro, SA garantiu em 2019, 138 postos de trabalho. A empresa dedica-se ao abate e transformação da carne de ave. É a maior empregadora do concelho

A empresa nasceu de uma operação familiar, em 1982, em Pragança, na União de Freguesias de Lamas e Cercal. Dedica-se à criação e abate de aves, assim como à transformação da carne, que é distribuída para todo o território nacional sob marcas como a Quinta do Ulmeirinho e Quinta do Vale do Freixo, e também para o mercado angolano.
No ano de 2019, a empresa apresentou um volume de negócios de 11,5 milhões de euros e um resultado líquido de 810 mil euros, segundo os dados daquela consultora.
De resto, este desempenho faz da Aviário do Pinheiro a 16ª maior empresa do país no setor do abate de aves, segundo o ranking de empresas do Dinheiro Vivo.
Em segundo lugar no ranking das maiores empregadoras do concelho surge a J. Inácio – Máquinas Agrícolas, Lda.
Fundada em 1990, mas com uma história que remonta a 1967, a empresa comercializa tratores e outras máquinas e equipamentos agrícolas, setor no qual é a quarta maior de todo o país, segundo o ranking de empresas do Dinheiro Vivo.
A empresa tem sede na Vermelha e tem ainda um centro de usados na Palhoça. Além destas duas instalações, possui dependências na Golegã, Alcácer do Sal, Montemor-o-Velho e Pombal.

No conjunto das instalações, emprega 72 pessoas. Em 2019 teve um volume de negócios próximo dos 19 milhões de euros e um resultado líquido de 731 mil euros.
A terceira maior empregadora do concelho do Cadaval é também da freguesia e da localidade, da Vermelha: a Panificadora Regional da Vermelha, Unipessoal, Lda. Fundada em 1969 como uma pequena panificadora familiar, tem vindo a crescer de forma gradual, tanto na oferta, com mais de 50 tipos de pães em carteira, como na área de influência territorial, que cobre o país de norte a sul, tornando-se na 34º maior panificadora do país, segundo o Dinheiro Vivo.

O Pão da Vermelha tem mais de 50 anos de história e é distribuído diariamente para todo o país

O Pão da Vermelha é a marca que tem associada e dá trabalho de forma direta a 53 pessoas. Em 2019 obteve um volume de negócios superior a 2,3 milhões de euros, com um resultado líquido de 151 mil euros.

36,5 milhões de euros, foi o volume de negócios da Agridistribuição, SA, a empresa que gere a rede e e o franchising da marca Agriloja e que foi a que mais faturou no concelho no ano de 2019

Marcas de referência no país
Das três maiores empregadoras do concelho do Cadaval, apenas uma está no pódio das maiores em volume de negócios, a J. Inácio – Máquinas Agrícolas, Lda, que surge justamente em 3º.
E se esta é uma das empresas de referência no país no seu setor de atividade, as outras duas não lhe ficam atrás.

A rede Agriloja é uma referência no comércio a retalho ligado à agricultura e bricolage

A maior empresa do concelho é a Agridistribuição, Lda. Este nome pode dizer pouco ao grande público, mas essa “realidade” muda quando se fala em Agriloja, a rede de lojas que esta empresa gere é uma referência em soluções para clientes particulares e profissionais nas áreas da agricultura, jardim, pecuária, animais de estimação, bricolage e casa.

Fundada em 1996, a Agridistribuição, SA, que integra o grupo económico Agris, obteve em 2019 um volume de negócios de 36,5 milhões de euros, com um resultado líquido de 856 mil euros, e emprega 26 pessoas.

A Bernardinos & Carvalho, do VIlar, comercializa os vinhos a granel do grupo Parras Wines e tem sede na Quinta do Gradil

A segunda maior empresa do concelho em vendas é a Bernardinos & Carvalho, SA. Integrada no grupo Parras Wines –sedeado atualmente no concelho de Alcobaça -, esta empresa tem sede na Quinta do Gradil, no Vilar, e é responsável pelo negócio de venda de vinho a granel daquele grupo económico fundado e liderado pelo empresário Luís Vieira.
A Bernardinos & Carvalho fechou as contas de 2019 com 31,3 milhões de euros em vendas, dos quais 2,4 milhões representam exportações, para Alemanha, Cabo Verde, Canadá, Espanha, Estados Unidos da América e Suíça. Tinham, em 2019, 14 pessoas nas suas fileiras.
É ainda de ressalvar que nestas listagens não se incluem entidades da economia social. ■

Comércio e indústria são as principais atividades económicas

A atividade agrícola é o principal motor da economia do Cadaval, em torno do qual o comércio e a indústria se desenvolvem

A ruralidade é uma das principais características do concelho do Cadaval e a agricultura, nas suas variadas formas, é o grande motor da economia local. Apesar de não ser este o setor de atividade que maiores números apresenta ao nível da força de trabalho e do volume de negócios, esses são os do comércio e da indústria, a maior parte das maiores empresas têm conexão ao setor alimentar, o que significa que o concelho não se limita a produzir o que a terra dá.
Olhando, então, aos números, o comércio é o principal setor de atividade do concelho, segundo dados da Iberinform. Congrega 82 empresas, que em 2019 geraram 297 milhões. Além de liderar em número de empresas e volume de negócios, o setor é o segundo maior empregador, com 415 postos de trabalho garantidos no concelho.
É neste setor de atividade que estão as três maiores empresas do concelho em volume de negócios.

Apesar de se tratar de um concelho cuja economia se desenvolve em torno do setor primário, o comércio e a indústria são os setores com maior dimensão nas vendas
e no emprego no Cadaval

O segundo setor de atividade económica com maior volume de negócios no concelho do Cadaval é o da indústria. São 30 empresas, das quais 26 da indústria transformadora e quatro da extrativa, que faturaram em conjunto 108,9 milhões de euros em 2019. Contudo, este é setor de atividade que garante mais postos de trabalho, 617.
A agricultura surge em terceiro lugar nos setores mais importantes no concelho. Este é, contudo, o segundo em termos de número de empresas (67), a maioria das quais na produção de frutas e, depois, de vinho. O setor emprega 224 pessoas e gerou 42,8 milhões de euros.
Segue-se a construção, com 38 empresas e 19,5 milhões de euros em vendas. Este setor é o terceiro mais relevante ao nível do emprego permanente, com 297 postos de trabalho.
O setor dos transportes e armazenagem, com forte ligação à produção agrícola, emprega 213 pessoas em 23 empresas e gerou 17,6 milhões de euros.
Nos serviços, o Cadaval tem 71 empresas e 200 postos de trabalho, com um volume de receitas de 12,4 milhões de euros.
Encerra o ranking o setor do turismo, no qual laboram 15 empresas que em 2019 faturaram 1,1 milhões de euros e empregaram 164 pessoas. ■