Concurso Vinhos de Lisboa premiou os melhores néctares de 2024

0
298
‘Sottal’, da Quinta do Sanguinhal (Bombarral) é o melhor ‘Leve Lisboa’

Produtores do Oeste levaram para casa 44 medalhas de ouro e prata e distinguiram-se em várias categorias, demonstrando uma qualidade superior

O Concurso Vinhos de Lisboa 2024 atribuiu 61 distinções aos produtores da área da Comissão Vitivinícola da Região de Lisboa (CVR Lisboa), num ano que está a ser marcado por fortes turbulências no mercado devido ao excesso de vinho que ainda está por escoar no mercado. Os concelhos oestinos voltaram a ter uma excelente prestação neste concurso anual, tendo arrecadado 44 medalhas, distribuídas por Alenquer (15), Cadaval e Torres Vedras (8), Lourinhã (4), Bombarral, Óbidos e Sobral de Monte Agraço (3).
O evento decorreu na Quinta da Pimenteira, em Lisboa, tendo na ocasião o presidente da CVR Lisboa, Francisco Toscano Rico, destacado que “a Região Demarcada de Lisboa tem vinhos muito diferenciadores, e neste concurso, quisemos uma vez mais destacar a nossa identidade”, acrescentando que “é sempre um orgulho e uma enorme satisfação homenagear e premiar o trabalho dos nossos viticultores, assim como os projetos que tão bem promovem e divulgam toda o território da Região”. Foram atribuídas 17 medalhas de prata, 42 medalhas de ouro e quatro medalhas Grande Ouro, tendo igualmente sido premiados a ‘Melhor Carta de Vinhos em Restaurantes de Hotel’, o ‘Melhor Enoturismo’, o ‘Evento do Ano’, o ‘Mérito Enogastronómico’ e o ‘Mérito Carreira’. Foram ainda distinguidos quatro vinhos com o Prémio Excelência, o mais importante galardão do concurso, e eleitos o ‘Melhor Arinto’ e o ‘Melhor Leve Lisboa’. O Prémio Excelência envolveu cinco categorias especiais: ‘Melhor Leve Lisboa’, atribuído ao Sottal Branco 2023 (Quinta do Sanguinhal, Bombarral); ‘Melhor Branco’, entregue à Adega d’Arrocha Fernão-Pires Reserva 2022 (Adega d’Arrocha, Lourinhã); ‘Melhor Tinto’, conquistado pela Casa Santos Lima Reserva 2020 (Casa Santos Lima, Alenquer); ‘Melhor DOP’ e ‘Melhor Vital’, atribuídos ao Casa das Gaeiras Vital Vinhas Velhas Branco Reserva 2018 (Casa das Gaeiras, Óbidos). Ainda quanto aos prémios especiais, o ‘Melhor Arinto’ foi atribuído ao CH by Chocapalha Branco 2020 (Quinta de Chocapalha, Alenquer) e o ‘Vinho Revelação’ ao Trincadeira Branca (Quinta do Lagar Novo, Alenquer). No‘Top 5 Arinto’, mais dois produtores da nossa zona: Caves Dois Portos Branco Reserva 2023 (Adega Cooperativa de Dois Portos, Torres Vedras) e

Francisco Toscano Rico, presidente da CVR Lisboa

AdegaMãe Branco 2019 (AdegaMãe, Torres Vedras). O ‘Top 5 Leve Lisboa’ integra os vinhos Mirante Branco 2023 (Adega Cooperativa de Carvoeira, Torres Vedras), Solar da Marquesa Rosé 2023 (Casa Agrícola Nicolau, Cadaval) e Feitores Branco 2022 (Feitores, Bombarral). A AdegaMãe foi a grande vencedora do prémio ‘Melhor Enoturismo’, tendo o prémio ‘Evento do Ano’ sido entregue ao Alma do Vinho de Alenquer. O Restaurante Aurea (Lisboa) – Art Legacy Hotel foi distinguido com o prémio ‘Melhor Carta de Vinhos em Restaurantes de Hotel’. Por fim, a Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste foi distinguida com o prémio ‘Mérito Enogastronómico’, tendo o ‘Mérito Carreira’ sido atribuído a António Bernardino Paulo da Silva Chitas, que dedicou a sua vida à vitivinicultura na região de Colares. O presidente da CVR Lisboa, com sede em Torres Vedras, frisou que “estamos a atravessar um momento particularmente difícil, é quase uma tempestade perfeita”, tendo em conta que o consumo de vinho está a baixar, cresceram as importações e, como consequência, os produtores têm os ‘stocks’ em alta, “com impacto importante na diminuição do preço das uvas e do vinho”. Defendeu, por isso, uma maior fiscalização da ASAE sobre o vinho importado. ■

Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste foi distinguida com o prémio ‘Mérito Enogastronómico’