Escolas envolvem comunidade em atividades para assinalar o Natal

0
374
A turma Gorro Natal, do Agrupamento de Escolas Raul Proença, das Caldas

A pandemia continua a afetar o quotidiano nas escolas, mas nem por isso os estabelecimentos de ensino da região deixaram passar em claro a quadra natalícia. Conheça algumas das atividades em que a comunidade escolar foi chamada a participar

O Natal é quando uma criança quiser. E, por isso, os estabelecimentos de ensino da região não podiam deixar passar em claro a quadra natalícia, tendo desenvolvido um vasto conjunto de iniciativas que envolveram a comunidade escolar nas últimas semanas.
Nas Caldas, a Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro escolheu festejar o Natal com momentos culturais e lúdicos, nomeadamente o “Natal a Dançar”, com apresentação de coreografias por parte dos alunos. Esta atividade integra o Projeto “Intervalo +”, cujo objetivo é “criar momentos lúdico-artísticos e divulgar o talento dos alunos”, explica a diretora do agrupamento, Maria do Céu Santos. Alunos das turmas do 1º TAE, 1º TD, 2ºTD e 2ºTAV estiveram envolvidos na atividade, organizada pelo Projeto Cultural de Escola e pela associação de estudantes, contando com a colaboração da professora de hip-hop dos Pimpões, Patrícia Mendes, que animou a manhã com uma aula de zumba.

Os alunos das turmas dos 7° e 8° da escola-sede puderam também celebrar o espírito de Natal de forma diferente e divertida num “Escape Christmas” organizado por um grupo de alunos da turma 9º B, com o sentido de fomentar a dinâmica e o sentido de comunidade, com várias turmas participantes. A atividade consistia em encontrar pistas e resolver enigmas para conseguir “escapar” da sala e “salvar o Natal” das garras do Grinch
Na escola lançou-se o desafio de levar um adereço natalício no último dia do período. “Participaram alunos, professores e funcionários, dando à escola um ar de graça. Viveu-se um dia descontraído e animado e com cada um a dar um pouco de si foi fácil mostrar à comunidade escolar que a vontade de estar alegre ainda nos une”, frisa a dirigente.
O Natal foi celebrado em todos os quinze estabelecimentos de ensino do Agrupamento de Escolas D. João II, conforme explicou a subdiretora Maria de Lurdes Henriques.
“Ser Solidário” é o tema do Plano Anual de Atividades e, nesse sentido, as crianças, alunos, docentes, pessoal não docente e pais e encarregados de educação, “cumprindo as regras exigidas pela atual situação de saúde, sempre em cooperação, comemoraram o Natal”, sublinhou a docente, elogiando a associação de pais e encarregados de educação que, “num gesto simples e bonito, levou a todos os estabelecimentos, um presente especial, a sua presença e a sua atenção”.
No Agrupamento de Escolas Raul Proença, o Natal em pandemia revelou-se “um desafio acrescido para a comunidade escolar”, mas a data foi devidamente assinalada, revelou o diretor João José Silva, destacando a iniciativa “Dá mais cor ao nosso Natal”, em que desafiaram professores, alunos e funcionários a “trazerem um gorro de Natal ou outro adereço com o mesmo espírito”.
“No agrupamento ser solidário foi a principal forma de celebrar o Natal”, reforçou o professor, notando que no pré-escolar e no 1º ciclo de escolaridade mantiveram a tradição das festas de Natal, “mas confinadas ao espaço grupo/turma”. Nos outros ciclos foram desenvolvidas atividades desportivas nos recintos exteriores, mas a “principal forma de assinalar esta data, que agregou toda a comunidade educativa, foi o Cabaz de Natal”. Assim, todas as turmas e grupos fizeram um cabaz de Natal que doaram a uma instituição de solidariedade social ou a uma família carenciada.
No Colégio Rainha D. Leonor, o Natal foi assinalado com atividades dentro de cada turma ao longo das últimas semanas.
No início desta semana, a associação de estudantes dinamizou atividades e foi produzido um espetáculo de Natal “adaptado ao contexto que vivemos”, com um guião que tem como base a celebração dos 30 anos do filme “Sozinho em Casa”.
“Foram filmadas, por turma, atuações de dança e de canto, e, posteriormente, será feita uma montagem, para enviar para casa”, assinalou Sandra Santos, da direção pedagógica da escola.

Reinventar as tradições
Em Óbidos, o Agrupamento de Escolas Josefa de Óbidos decidiu reinventar as iniciativas natalícias, com atividades em que se privilegou o online e atividades em bolha e com distanciamento social. “Dito assim, parece aborrecido mas foi um pequeno preço a pagar numa época em que, como todos sabemos, existe uma necessidade acrescida de cumprimento das regras”, afirma o diretor José Fernando Santos, valorizando o “cuidado extremo de todos os intervenientes para que isso acontecesse”. O agrupamento adotou a tradição de oferecer chocolate quente e filhoses aos alunos, desencadou um concurso das mesas de Natal, realizadas em “bolha”, outro concurso de ECOPinheiros e elaboração de presépios naturais, além das festas de Natal online e das atividades levadas a cabo pela associação de estudantes com distanciamento social.
Mesmo nestes tempos de pandemia há tradições que urge manter e, por isso, em Óbidos não faltou a visita ao Vila Natal…
José Fernando Santos evidencia o papel das escolas, que “tem sido preponderante no combate a esta pandemia”. “Como se comprova, a adaptação tem sido uma constante, a reinvenção de procedimentos uma ferramenta utilizada no dia a dia. É na interação constante dos nossos professores com os encarregados de educação, na interação com os nossos parceiros, na interação com a comunidade que reside o segredo do nosso sucesso, ou seja, o sucesso das nossas comunidades educativas”.
Em São Martinho do Porto, o agrupamento fez questão de tentar “manter as vivências e tradições de uma época tão especial para as crianças e jovens”, mas, não obstante, “em ambiente de contingência, algumas atividades tiveram que ser canceladas e outras foram adaptadas ou reinventadas”, revelou a diretora Luísa Sardo.
Entre as atividades desenvolvidas, destaque para o concurso Estrela de Natal na escola-sede, em que cada turma fez um enfeite para a árvore conjunta, iniciativa em parceria com a associação de estudantes. Também com a associação teve lugar o Mercadinho de Natal na escola-sede.
Na vila, os alunos procederam à colocação de Árvores de Natal em espaços comerciais, numa ação da EB1 de São Martinho, tendo os alunos do pré-escolar, como não poderia deixar de ser, visitado o Óbidos Vila Natal…
Entre as várias atividades, realce, também, para as Canções de Natal, dos alunos do ensino articulado, com a Academia de Música de Alcobaça, que foi transmitida em livestream para todas as turmas da escola-sede.
Por seu turno, no Agrupamento de Escolas da Benedita mantiveram-se “algumas tradições que contam já alguns anos”, desde o projeto “Partilhar é Crescer” até à colocação de enfeites nas escolas, sempre com um “caráter ecológico, sustentável e solidário”.
A já habitual campanha de recolha de bens alimentares, higiene e outros faz com que cheguem à escola sede centenas de produtos recolhidos nos diferentes estabelecimentos de ensino que integram o agrupamento, dando origem a dezenas de cabazes que serão distribuídos na semana de Natal pelas famílias dos alunos mais carenciados. Este ano, a grande novidade foi o voluntariado de alunos na preparação dos cabazes e a articulação com a Junta da Benedita.
Todos os anos, a autarquia desafia o agrupamento a participar na decoração natalícia da vila. Este ano, foi proposta a decoração de uma caixa de cartão, por turma, com a utilização preferencial de materiais reutilizados/reciclados e económicos. “Os alunos envolveram-se com entusiasmo nesta atividade e os presentes (caixas decoradas) encontram-se distribuídos pela Praça Damasceno de Campos, um dos mais importantes centros urbanísticos da freguesia, nota o diretor Marco Lemos.
A estas atividades juntam-se a elaboração e exposição de trabalhos relacionados com a quadra natalícia, com destaque ainda para as atividades realizadas pelo clube “Atelier de Costura Criativa”. De realçar a preocupação constante com a utilização de materiais reutilizados/reciclados. As Festas de Natal, as audições musicais, os lanches partilhados, “o amigo secreto” e o Jantar de Natal, este apenas para os adultos do agrupamento, são tradições que se encontram suspensas, mas que o Agrupamento de Escolas da Benedita “espera poder retomar em breve”. Será, sem dúvida, um bom presente para todos.