O ano de 2020 em revista

0
102

Janeiro Mais ciclovias na cidade

Mantendo a tradição, a Gazeta abriu o ano com a notícia do nascimento do primeiro bebé na Maternidade do Centro Hospitalar das Caldas. Sofia Maria nasceu às 00h31 de 1 de janeiro de 2020, com 2,7 quilos, e não sabia que este seria um ano que ficaria na história.
Em Óbidos, a Câmara decidiu homenagear Fernando Santos, o selecionador nacional de futebol, que passou grande parte da infância no concelho.
A promoção da circulação pedonal e do transporte público em detrimento do uso do automóvel, assim como o aumento da rede de ciclovias, eram apontados como alguns dos objetivos estratégicos do Plano de Mobilidade Sustentável das Caldas, que fizeram manchete na edição de 31 de janeiro. A mesma edição dá conta da intenção da autarquia em reforçar a votação no Orçamento Participativo procurando, ao mesmo tempo, restringir a votação aos munícipes caldenses.
A lota de Peniche mantinha a liderança da comercialização do pescado. De acordo com a Docapesca, o pescado vendido em lota em 2019 rendeu 32 milhões de euros, ainda assim abaixo dos 34 milhões de euros de 2018.
Em Óbidos, a Câmara dá luz verde ao projeto-base para a construção do novo quartel da GNR enquanto que nas Caldas a edilidade avança com a habitação jovem na freguesia do Carvalhal Benfeito, enquanto os sócios do Caldas eram chamados a pronunciar-se sobre uma proposta de cedência do direito de superfície do posto de abastecimento de combustíveis do clube.
A última edição do mês dá destaque à conferência promovida pela Gazeta das Caldas sobre leis do trabalho, que registou uma forte adesão. Foi também em janeiro que a Academia de Belas Artes se mostrou preocupada com o estado de degradação a que chegou a obra “Jardim d’ Água” de Ferreira da Silva.

Fevereiro Carnaval nas ruas das Caldas

No mês em que os rotários das Caldas distinguiram Fernando Costa, o Carnaval na cidade foi celebrado nas ruas por milhares de foliões. Apesar do frio e da chuva, o corso desfilou em três dias tendo por mote a tradicional sátira social e política. À noite houve bailes no Céu de Vidro, mas com o sentimento de despedida, tendo em conta que o imóvel iria entrar em obras para a instalação do hotel de cinco estrelas a construir pelo grupo Visabeira.
Fevereiro foi o mês em que a Misericórdia das Caldas assinalou 75 anos de atividade e que a Câmara Municipal de Peniche inaugurou o Centro Escolar de Atouguia da Baleia. E que a Câmara das Caldas da Rainha exigiu a realização de um concurso público para o estudo do novo hospital do Oeste.
A preocupação dos munícipes com a falta de limpeza em algumas ruas da cidade e que levaram o assunto à Assembleia Municipal, bem como da “indignação” sentida pela comissão de utentes com os atrasos na obra das Urgências no hospital das Caldas, também foram notícia.
Também nesta edição ficamos a saber que Portugal é o segundo maior produtor mundial na cerâmica decorativa e de mesa, bem como a história do grupo Neomáquina, que começou com uma barbearia na Benedita.
No desporto, o destaque foi para o chumbo das contas do Sporting Clube das Caldas, o que impediria o clube de receber apoios da Câmara. A situação viria a ser resolvida nas semanas seguintes.
Já nesta edição surgem os primeiros do coronavírus, num testemunho de um caldense a residir no Norte de Itália e a informação de que um nazareno, a trabalhar num navio de cruzeiros, foi o primeiro português a ser infetado.

Março A pandemia chegou ao Oeste

A pandemia chegou ao Oeste em março e é na edição de dia 20 que a Gazeta noticia que Caldas tem o primeiro infetado com coronavírus: tratava-se de um sexagenário residente em Santa Catarina. As indicações da DGS para as pessoas ficarem em casa tornou Caldas uma cidade em suspenso, apenas com algum comércio de portas abertas e muita pouca circulação. Cerimónias como a do 16 de Março foram canceladas. A partir de então, começaram também a surgir os projetos de solidariedade, como o dos voluntários do Espaço Ó, jovens que levavam medicamentos e compras aos idosos durante este período de isolamento social. Destaque ainda para as professoras da ETEO que foram buscar os alunos que se encontravam em Erasmus, a estagiar em empresas de Bilbao (Espanha) e Estocolmo (Suécia). É também a partir de março que começaram os concertos de artistas caldenses sem sair de casa.
Neste mês foram terminadas as obras de recuperação da muralha do castelo de Óbidos, que envolveu um investimento próximo dos 800 mil euros, tendo sido igualmente notícia a proposta da Câmara Municipal para tentar atrair 400 famílias e evitar a desertificação da vila.
A presidente do Conselho de Administração da Docapesca, Teresa Coelho, em entrevista à Gazeta das Caldas, falou sobre os investimentos que estão previstos para os portos de pesca do Oeste, numa lógica de criação de riqueza para a sustentabilidade.
No final do mês, a região tomava medidas para preparar os impactos da pandemia, com a instalação de hospitais de campanha e outras medidas de restrição. Em termos económicos, as livrarias de Óbidos já sentiam a falta de clientes provocada pela crise da covid-19. O pior ainda estava para vir.

Abril Praça da Fruta muda-se

A pandemia forçou a Câmara das Caldas a transferir a Praça da Fruta para a Expoeste, depois de algumas semanas de suspensão do mercado ao ar livre, num mês de abril marcado pelas primeiras mortes relacionadas com a covid-19 no Oeste. Uma das quais no concelho das Caldas, uma octogenária de Santa Catarina, que se encontrava num lar e faleceu no hospital.
Para evitar o pior, a Câmara Municipal e as Juntas de Freguesia do concelho desenharam uma campanha de distribuição gratuita de 100 mil máscaras pelo concelho, enquanto o padre Marco Leotta percorreu as ruas do Vau, Bom Sucesso e Aldeia dos Pescadores, em Óbidos, de jipe para benzer a população, por forma a manter a tradição na Sexta-feira Santa.
Mas nem tudo foram más notícias em abril, dado que foi naquele mês que a modernização de troço da Linha do Oeste até Torres Vedras foi adjudicada e vários setores da sociedade começaram a juntar esforços e a realizar inúmeras atividades solidárias.
No último dia de abril a primeira página da Gazeta das Caldas traz como manchete a homenagem prestada aos profissionais de saúde e segurança nas comemorações do 25 de Abril. Palmas e cartazes no Centro de Saúde, nos quartéis dos Bombeiros e da GNR, na esquadra da PSP e no Hospital fizeram parte da homenagem que partiu da iniciativa de uma cidadã alemã que vive há um ano e meio no Nadadouro à qual se juntaram vários autarcas caldenses.
No final do mês, a Gazeta dava conta da intenção das empresas Uber Eats e Glovo de operar na cidade termal, enquanto na educação as escolas se queixavam da falta de condições para o ensino em casa para muitos alunos. Na economia, o mês terminava com uma má notícia: a subida de 17,8% do desemprego no Oeste.

Maio Dia da Cidade em confinamento

O 15 de maio, Dia da Cidade, foi este ano passado em confinamento e esse é o assunto que merece destaque na edição especial da Gazeta, com uma fotografia da rotunda da Rainha sem movimento nem pessoas. A programação prevista para a data foi cancelada, apostando a autarquia em concertos no CCC para serem transmitidos online. Nesta edição Gazeta das Caldas revisita alguns aspetos curiosos da História da cidade termal, como uma viagem ao dia em que a então vila foi elevada a cidade ou inaugurações importantes realizadas nas comemorações deste dia. É possível recordar as medalhas de honra que já foram entregues, ver um retrato do PORDATA.
Nesta edição dá-se destaque ao facto de a intervenção na “aberta” da Lagoa de Óbidos já estar em curso, mas também de o início das dragagens estar atrasado, estando a empreitada a aguardar então o visto do Tribunal de Contas. Foi também notícia a desinfeção, com uma solução que continha hipoclorito, que a Junta de São Martinho do Porto fez da praia, o que motivou, inclusive, comentários do Governo.
O caso de Valentina, a criança que foi assassinada em Peniche, é notícia nesta edição. O homicídio deixou o país em choque.
As autarquias adquiriam então material para emprestar às escolas e alunos para permitir o ensino a partir de casa, enquanto o Banco Alimentar do Oeste sentia dificuldades para corresponder ao aumento de pedidos. Mas maio foi, também, o mês em que as escolas e creches reabriram num regresso à normalidade possível para milhares de famílias. No final do mês, destaque para a homenagem às costureiras das Caldas pelo contributo na confeção de máscaras, um gesto solidário que não deixou ninguém indiferente.

Junho Regresso das feiras e mercados

A preparação do regresso da Praça da Fruta ao local de origem e a divisão de opinião quanto a essa medida foi o tema em destaque na primeira edição de junho da Gazeta. Nessa mesma primeira página a fotografia é dedicada à reabertura do Mercado de Santana, em Alvorninha, dois meses e meio depois do encerramento devido à pandemia. Neste número da Gazeta das Caldas o jornal, numa parceria com as autarquias e a empresa Naveprinter, ofereceu 6500 máscaras reutilizáveis aos seus leitores, no âmbito da iniciativa #ProtegeCaldas.
Nesta data dá-se conta do FALU, o Festival Artístico de Linguagens Urbanas, que trouxe diversas intervenções de arte urbana à cidade termal, com obras de Bordallo II, Aka Corleone, Add Fuel, Nuno Viegas, C’MARIE & EGRITO e Daniel Eime.
O projeto “Vamos conversar?”, que consiste num telefonema regular dos jovens aos idosos obidenses foi notícia em junho, com a Gazeta a dar conta de que quatro voluntários já contactavam 20 seniores.
Na cultura, o CCC foi o primeiro espaço cultural do Oeste a reabrir depois do confinamento, mas o assunto não foi consensual entre as Câmaras do Oeste, que adotaram estratégias distintas para a retoma do setor cultural.
Junho foi o mês do arranque da época balnear e a Gazeta fez uma reportagem a assinalar o facto, acompanhando o primeiro dia de praia na Foz do Arelho, que decorreu sem problemas de maior.
Como forma de minorar eventuais focos de contágio, a Câmara de Óbidos decidiu implementar circuitos de sentido único na vila, no mês em que se ficou a saber que Associação de Benefi ciários do Plano de Rega das Baixas de Óbidos passou a ter autonomia para gerir o aproveitamento hidroagrícola.

Julho Surtos fazem disparar casos

A primeira página da Gazeta de 10 de julho faz manchete com o facto de se atingir uma média de uma centena de casos por semana no Oeste. Nas Caldas, os casos positivos que se registaram foram no centro de Apoio a Idosos Dr. Ernesto Moreira, no Lar do Montepio e na creche “O Brinquinho”, na Matoeira, onde havia seis crianças infetadas, duas educadoras, um motorista e quatro familiares das criança. Nessa semana registaram-se ainda três óbitos causados pelo novo coronavírus em Torres Vedras.
Em entrevista, o infeciologista caldense António Silva Graça, comentador da RTP sobre a situação da pandemia, defendia a necessidade de se implementar um plano estratégico nacional destinado a proteger os lares de idosos. Nesse mês, Óbidos dava a conhecer os seus Segredos aos turistas, num projeto destinado a divulgar aos turistas os lugares mais seguros e menos conhecidos da localidade obidense.
No desporto, Jorge Reis foi eleito para mais um mandato na presidência do Caldas, enquanto Filipe Mateus foi eleito novo presidente do Sporting Clube das Caldas.
Na economia, a Icel celebrava o 75º aniversário e, mesmo em pandemia, decidiu assinalar a data com a oferta de uma ambulância aos Bombeiros da Benedita. Em relação à Cultura, o caldense Daniel Eime foi o escolhido como curador do Festival de Arte e Linguagens Urbanas, tendo feito uma peça de arte urbana, no parque do Montepio. A Banda Comércio e Indústria gravou um videoclipe no Parque D. Carlos I, seguindo as novas normas de segurança, exigidas pela DGS.
A morte de Abílio Camacho deixou Caldas de luto em julho, mês no qual o PS decidiu anunciar a candidatura de Luís Miguel Patacho à Câmara das Caldas da Rainha nas autárquicas de 2021.

Agosto O regresso da Praça da Fruta

Como se impunha, a capa da edição de dia 14 de agosto é dedicada ao regresso da Praça da Fruta ao tabuleiro da Praça da República, após quatro meses a funcionar na Expoeste. O mercado reabriu sob fortes medidas de segurança, aplaudida por alguns vendedores e contestada por outros. A partir de então, apenas 100 pessoas podem estar em simultâneo na Praça.
Nesta edição, a Gazeta dedica um artigo sobre o que pensam os emigrantes da região que, por causa da pandemia, vivem um verão diferente, sem a possibilidade de regressar e mantendo-se nos países de acolhimento, pelos quatro cantos do mundo.
A praia da Nazaré esteve dois dias com banhos interditos por causa de uma descarga numa antiga conduta já desativada esteve na origem da interdição.
Crianças e jovens da Academia Desenhos do Bruno pintaram um mural junto ao Parque Infantil da Encosta do Sol que teve o apoio da União de Freguesias de Nossa Senhora do Pópulo, Coto e S. Gregório. A pintura de 63 metros reflete sobre a multiculturalidade.
Em Óbidos, e para resolver os sucessivos problemas com a conduta de abastecimento de água na localidade do Vau, que obrigavam os Bombeiros a garantir o fornecimento às populações em diversas ocasiões, a Câmara Municipal começou a instalar uma nova conduta, num mês em que a procissão em honra da padroeira da Foz do Arelho foi feita… de carro
Em agosto, a população do Landal rejeitava a existência de um espaço na aldeia para casos suspeitos de covid-19, enquanto o violinista Nuno Santos concluiu no Hospital das Caldas o ciclo de concertos em unidades do Centro Hospitalar do Oeste, que serviram de homenagem ao trabalho dos profissionais de saúde na pandemia.

Setembro Cartoons em destaque

Setembro começa com a notícia da aprovação do plano de gestão para o Parque D. Carlos I, documento elaborado pela Câmara Municipal das Caldas da Rainha em parceria com a Direção-Geral do Património Cultural.
Este foi também o mês em que se ficou a saber da exoneração do provedor da Santa Casa da Misericórdia de Alfeizerão, processo que se arrastou durante meses até à eleição de novos dirigentes.
Sinal dos tempos, a Feira da Cebola substituiu a tradicional FRIMOR em Rio Maior, num mês em que a água da Lagoa de Óbidos começou a ficar castanha, com a Câmara Municipal a assegurar que se trata de algas em putrefação. Ainda neste âmbito, a Gazeta deu a conhecer que o Ministério da Agricultura prevê que, dentro de um ano, a Barragem de Alvorninha esteja em condições de funcionamento, na sequência de obras que visam solucionar os problemas técnicos que impedem a retenção das águas. O projeto, que tem um custo de1,2 milhões de euros, é financiado em cerca de 80% por fundos europeus.
Caldas voltou a receber a exposição e a gala do World Press Cartoon, tendo a pandemia forçado a que parte da cerimónia se tivesse realizado on-line. Uma caricatura de Boris Johnson foi a vencedora do certame onde as Caldas da Rainha foi anunciada como a “cidade da irreverência”.A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários das Caldas assinalou a 20 de Setembro, o 125º aniversário baptizou novas viaturas com os nomes dos seus patronos. Nesta edição dá-se a conhecer que o governo autorizou a realização de obras na Linha do Oeste entre Torres Vedras e Caldas da Rainha.
O guitarrista caldense Francisco Luís, com 22 anos, tornou-se no primeiro artista português Eurostrings a ter vencido o concurso internacional na Roménia. O caldense alcançou o estatuto de músico de topo.

Outubro João Almeida veste rosa

O mês de outubro começou com o aniversário da Gazeta, que celebrou os 95 anos de uma forma muito especial: uma edição especial, sob a direção de Carlos Querido, e, na semana seguinte, com a publicação de uma revista, o lançamento de um novo layout e a criação de um mural ao mestre Ferreira da Silva, por parte da arquiteta Filipa Morgado. Porém, outubro foi, sobretudo, o mês de João Almeida, o ciclista, natural de A-dos-Francos, que esteve durante duas semanas com a camisola rosa do Giro d’Italia e que fez nascer uma verdadeira onda rosa por toda a região e, depois, por todo o país.
Ainda nas Caldas, a Gazeta fez o balanço de uma década de atividade dos Silos e deu conta do facto de a incubadora da cidade já ter apoiado mais de meia centena de empresas. Por outro lado, a Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste assinalou os 30 anos de atividade letiva.
Também neste mês, o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, que testou positivo à covid-19, presidiu em Óbidos à cerimónia de lançamento da coleção que assinala os 25 anos do Ministério da Ciência.
Em outubro foi assinado o contrato para as dragagens na Lagoa de Óbidos e Fernando Segismundo tomou posse como novo provedor da Santa Casa da Misericórdia de Alfeizerão.
No desporto, o caldense Tomás Seixas sagrou-se campeão nacional de futebol de praia pelo Sporting e o penichense Daniel Fonseca revalidou o título de campeão nacional de bodyboard. No futebol, após vários meses de paragem, o Caldas Sport Clube iniciou a temporada no Campeonato de Portugal, embora com os jogos realizados à porta fechada.

Novembro Cortejo bate recordes

Em novembro, a pandemia parecia dar tréguas à região, num mês em que se manteve a tradição do cortejo de oferendas dos Bombeiros Voluntários das Caldas da Rainha, que bateu recordes. Em Alcobaça a Feira de São Simão também se realizou, enquanto a Mostra de Doces & Licores Conventuais teve uma versão adaptada.
Nas Caldas, a autarquia revelava vontade de implementar um projeto-piloto para o concelho, tendo por base o trabalho desenvolvido pela rede social. A primeira “Habitação de Transição” deverá abrir portas no primeiro trimestre do próximo ano, enquanto na Benedita era notícia o facto de a paróquia avançar com reconstrução de antigo pórtico gótico junto à igreja da vila.
Na economia, a Câmara das Caldas e a ACCCRO anunciavam um investimento de 150 mil euros na iluminação de Natal e a Gazeta deu conta do arranque das obras para a construção de um segundo restaurante da rede McDonald’s na cidade. A Auto Júlio anunciava um investimento de 10 milhões de euros numa nova sede no antigo campo de futebol de São Cristóvão. Já a construção do hotel de luxo nos pavilhões do Parque era notícia, pois estava, apenas, a aguardar a realização de sondagens para avançar.
Outro investimento em curso é protagonizado pelo Montepio Rainha D. Leonor, cujos dirigentes revelaram estar em estudo uma parceria para viabilizar um novo hospital na cidade.
Na cultura, o Caldas nice Jazz realizou-se sem sobressaltos e com muitos espetáculos de qualidade no CCC, cabendo aos Lokomotiv o encerramento do festival.
Destaque, ainda, à entrevista à Gazeta do ministro Pedro Nuno Santos, com o governante a garantir que, com o projeto da alta velocidade, Caldas da Rainha ficará a 90 minutos do Porto.

Dezembro O mês da solidariedade

Dezembro é o mês do Natal e este reforça o espírito solidário da população. É isso que faz o destaque de primeira página da Gazeta das Caldas de 17 de dezembro, mas as ações repetem-se durante todo o mês. A ajuda chega de várias associações e movimentos, em forma de alimentação a famílias carenciadas, um problema agravado com a crise provocada pela pandemia de covid-19, mas também em brinquedos para crianças dessas famílias e às que estão em internamento hospitalar.
A pandemia não dá sinais de abrandar na região, vários surtos colocam Caldas da Rainha e Óbidos como concelhos de risco de contágio elevado para a parte final do ano.
O caldense Cristóvão Ferreira foi o vencedor da 8ª edição do Concurso Nacional de Jovens Agricultores. Já a famosa marca de bombons Ferrero Rocher lançou o remake da sua campanha publicitária e o caldense Fábio Oliveira, de 33 anos, foi o escolhido para dar rosto ao novo “Ambrósio”.
O Município de Alcobaça aprovou uma proposta para candidatar a baía de São Martinho do Porto a Património Natural Mundial da Humanidade. Nas Caldas, deu-se início à reabilitação da ala sul do Hospital Termal, uma obra de meio milhão de euros que estará pronta antes de atingida a primeira metade de 2021.
Por outro lado, na Santa Casa da Misericórdia das Caldas da Rainha, José Lalanda Ribeiro concluiu um ciclo de 33 anos como provedor e deu lugar a Maria da Conceição Pereira.
Já Walter Chicharro, presidente da Câmara da Nazaré, foi condenado por desobediência, por não ter acatado uma sentença relativa ao pagamento de salários de funcionário da autarquia e sindicalista.