Aventureiros da região encontraram-se na EN2

0
15
João Mota, em primeiro plano, com o grupo dos Amigos do Patareco que também está a fazer a ligação Chaves-Faro

O psicólogo alcobacense João Mota, que está a percorrer a EN2 a pé para alertar para a violência doméstica, encontrou os Amigos do Patareco, que estão a fazer os 738 quilómetros de bicicleta

O psicólogo João Mota, que está a percorrer a EN2 a pé para alertar para o problema da violência doméstica, encontrou no caminho o grupo dos Amigos do Patareco, que também está a realizar os 738 quilómetros que atravessam Portugal de Chaves a Faro, mas de bicicleta.
O encontro entre os aventureiros da região ocorreu em Oliveira do Mondego, na segunda-feira, dia sete de junho, e acabou por ser registado numa fotografia, que foi imediatamente partilhada nas redes sociais.
O psicólogo clínico, que é Técnico de Apoio à Vítima na Câmara de Alcobaça, fez-se à estrada a 30 de maio, e tinha previsto fazer a viagem em, pelo menos, 24 dias, mas tal como o próprio referiu, quer viajar sem pressa ou um calendário rígido, apreciando a viagem.

João Mota vai fazer a pé a estrada que atravessa Portugal de Norte a Sul

Seis dias depois da partida, os Amigos do Patareco devem chegar hoje a Faro

João Mota, que reside em Vale Maceira (Alfeizerão), sente que o problema da violência doméstica “provavelmente terá aumentado durante a pandemia” e salientou que “há um longo caminho a percorrer e muito ainda por fazer para acabar com este flagelo”.
Para chamar a atenção para este problema, o alcobacense irá percorrer os 738 quilómetros vestindo t-shirts produzidas pelo caldense Bruno Prates (cartoonista que é colaborador da Gazeta das Caldas), cada uma com uma frase de uma lista das mais recorrentes que João Mota tem ouvido nas queixas por violência doméstica que recebe.

Chegada a Faro para hoje
Entretanto, o grupo de nove Amigos do Patareco que saíram de Santa Catarina no dia 6 de junho e que têm a chegada a Faro prevista para hoje, 11 de junho, está a percorrer a estrada que atravessa Portugal de Norte a Sul de bicicleta.
Este é o regresso à atividade do grupo que foi fundado há já doze anos e que se pautava por ser uma organização informal de amigos que gostavam de andar de bicicleta.
Há cerca de dois anos, o grupo dos Amigos do Patareco associou-se ao clube da terra, a Associação Recreativa e Cultural Catarinense, que criou uma secção específica para eles. Tal facto permite ao grupo contar com outro tipo de apoios na organização dos eventos.
O grupo tem organizado o Passeio da Sexta-feira Santa anualmente, uma organização que já ganhou tradição e que todos os anos leva um autocarro cheio de participantes para fazer um passeio diferente. Devido ao contexto de pandemia de covid-19, em 2020 e em 2021 não foi possível realizar.
Todos os domingos de manhã, às 8h00, o animado grupo dos Amigos do Patareco (que é a alcunha de António Luís Lourenço) encontra-se em Santa Catarina, junto à bomba de gasolina, para passear e, especialmente, para conviver.