Consórcio Gabriel Couto inicia obra da modernização da Linha do Oeste

0
68
Está prevista a requalificação e electrificação de 43 quilómetros de via entre Meleças e Torres Vedras

O consórcio liderado pela Gabriel Couto SA anunciou, esta semana, que vai iniciar as obras de requalificação da Linha do Oeste numa empreitada orçada em 61,7 milhões de euros, na sequência da adjudicação feita pela Infraestruturas de Portugal no âmbito do programa Ferrovia 2020.
Segundo o caderno de encargos, o consórcio, que integra as empresas Gabriel Couto, SA, a M. Couto Alves, SA e a Aldesa Construcciones, SA, terá de concluir a obra no prazo de dois anos.
A empreitada liga Mira-Sintra/Meleças e Torres Vedras prevê a eletrificação integral do troço, a beneficiação de cinco estações e seis apeadeiros e a criação e melhoria dos acessos às plataformas de passageiros para utentes com mobilidade reduzida.
Com uma extensão de 43 quilómetros, o projeto visa melhorar a qualidade do transporte ferroviário que passa a ser realizado por comboios elétricos, e beneficiando também as áreas envolventes. Assim, as melhorias serão sentidas na fluidez do trânsito rodoviário ao suprimirem passagens de nível com a construção de nove passagens desniveladas, e a automatização das restantes, com a instalação de sinalização semafórica. Desta forma, procura-se reforçar as condições de segurança e circulação e a reabilitação estrutural, com o rebaixamento da plataforma ferroviária para colocação da catenária nos túneis de Sapataria, Boiaca, Cabaço e Certa.
Tiago Couto, diretor da construtora de Vila Nova de Famalicão, diz que a adjudicação ao consórcio, com a liderança da Gabriel Couto SA, prova que a empresa está bem cotada. “Continuamos a investir na vanguarda da engenharia como motor de inovação e desenvolvimento. E com esta obra de ferrovia vemos o nosso portfólio reforçado nesta área de projetos de infraestruturas”, observa o executivo da empresa minhota. que ocupa o 7º lugar do “ranking” nacional do setor.