Extensão de Saúde de A-dos-Negros já foi inaugurada mas só abre no fim do mês

0
1013

As novas instalações da Extensão de Saúde de A-dos-Negros foram inauguradas no passado sábado, em conjunto com o novo edifício sede da Junta de Freguesia, mas as consultas vão manter-se nas antigas instalações até à instalação do sistema informático, que só deverá estar operacional até 26 deste mês.
Alexandra Borges, directora do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Oeste Norte, disse à Gazeta das Caldas que soube da inauguração a 20 de Julho, um sábado, e que na segunda-feira seguinte enviou logo o pedido de instalação para a Oni, a empresa responsável. A instalação é garantida num prazo de quatro a seis semanas, entre 12 e 26 de Agosto, pelo que até lá, e assim que o sistema informático esteja operacional, a mudança de instalações será efectuada.
De resto, o equipamento mobiliário foi já transferido para a nova unidade, ficando nas antigas instalações apenas o mínimo necessário para as consultas.

Um dia histórico para a Freguesia

Vítor Mata, presidente da Junta de A-dos-Negros, disse estar perante um dia histórico para a freguesia e para a localidade. “De uma só vez inauguramos dois edifícios de extrema importância”, referiu.
Para além dos dois edifícios, o autarca destacou os trabalhos realizados no espaço exterior.
Foi restaurada uma eira monumental que, para além de ser um miradouro “de características únicas na região”, frisou Vítor Mata, poderá ser palco de eventos. E também uma nascente de água com mais de 300 anos e que estava perdida debaixo da eira. “Em 2003 isto estava cheios de silvas, em ruínas e era um património que estava aqui a mais, mas hoje temos instalações magníficas e este é um local emblemático”, disse.
Telmo Faria, presidente da Câmara de Óbidos, que é proprietária da antiga casa senhorial reconstruída para albergar as duas instalações, apelou à população para que desfrute do que ali foi construído. “Façam aqui festas, piqueniques, usem, isto não é para o dia de hoje, ou de vez em quando”, disse, sublinhando ser esta a última grande inauguração do mandato e a maior obra realizada sem fundos comunitários.
O autarca apelou à doação de livros e material para a biblioteca de desenvolvimento comunitário, revelando que era sua intenção e do presidente da Junta de Freguesia criar a biblioteca Professor João Evangelista.”Tivemos azar porque ele comprometeu-se com a Biblioteca Municipal das Caldas da Rainha, sei que ele sentia uma dívida muito grande pelas Caldas, pode ser que as Caldas possa também colaborar com parte do legado, ou que outras pessoas que tenha coisas para dar”, observou.
Em jeito de balanço de final de mandato, Telmo Faria explicou que o modelo de desenvolvimento que procurou implementar no município visou dar força às aldeias, considerando que foi o que aconteceu ali, com a dotação de “escolas de luxo, junta de freguesia de luxo e centro de saúde de luxo”.
O presidente do executivo obidense aproveitou ainda para refutar as acusações da candidatura socialista de que o concelho estaria numa difícil situação financeira, servindo-se dos dados do Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses. “Apesar do anuário ter colocado Óbidos nos primeiros 10 e 20 concelhos em todos os rankings, ainda temos gente de Óbidos a querer convencer as pessoas que a Câmara está falida”, criticou, adiantando que o município “tem uma grande capacidade financeira, cinco a seis vezes superior à que encontrámos em 2001”.

Dois dias de consulta até à chegada de novo médico

A Extensão de Saúde de A-dos-Negros esteve quatro meses sem médico, situação resolvida parcialmente desde 1 de Agosto com a celebração de um contrato de prestação de serviços entre a ACES Oeste Norte e uma empresa, que garante já consultas dois dias por semana.
“Esta solução garante cobertura de toda população da freguesia”, garante Alexandra Borges, directora do ACES Oeste Norte, acrescentando que apenas os serviços de vigilância das grávidas e a saúde infantil serão atendidas na sede da unidade em Óbidos até que seja encontrado um médico para esta unidade.
Alexandra Borges anunciou que está já aberto concurso para a colocação de cinco novos médicos de família no agrupamento. Apesar de haver a possibilidade de não existirem concorrentes para a totalidade das vagas, garantiu que Óbidos “será uma prioridade”.
A Câmara de Óbidos chegou a manifestar abertura para co-financiar o vencimento de um médico para a extensão de A-dos-Negros, mas Alexandra Borges adianta que esse nunca foi o problema. “O problema é a falta de médicos, os que saem da faculdade não são suficientes para suprir os que se vão reformando”, explicou, acrescentando que essa carência deverá estar solucionada dentro de três anos.

Joel Ribeiro
jribeiro@gazetadascaldas.pt