Francisco Rita eleito presidente do Montepio

0
121
O novo presidente do Montepio foi muito felicitado no final da eleição

Lista B venceu com 58% dos votos na eleição mais participada de sempre da instituição

Francisco Rita foi eleito presidente do conselho de administração do Montepio – Rainha D. Leonor, no passado dia 14 de maio. Mais de 850 sócios votaram no ato eleitoral mais participado de sempre da instituição, dando uma vitória por 140 votos à lista B “Por um Novo Montepio”.

“É preciso tranquilizar o ambiente. Muitos sócios apoiaram a lista A, não queremos que haja conflitos”

Francisco Rita

Francisco Rita garantiu 501 dos 873 votos contabilizados, vencendo com uma margem substancial. Registaram-se oito votos em branco e três nulos.
O total de votos teve, porém, uma discrepância de quatro votos em relação ao número de sócios com credenciação para votar, 869, o que obrigou à repetição da contagem.
Segundo Carlos Aurélio Santos, presidente da Mesa da Assembleia Geral, isto sucedeu porque na urna onde votaram os utentes dos serviços de apoio à terceira idade estavam 24 votos, mas apenas foram descarregados 20 nos cadernos eleitorais.
Empossado logo após a eleição, Francisco Rita disse estar satisfeito pela margem da vitória, que lhe dá “uma legitimidade diferente”, mas também “põe uma exigência, que é um ónus bom”.
O novo presidente do Montepio louvou a elevada afluência às urnas e diz que todo o processo eleitoral teve o condão de “despertar a cidade” para a sua instituição. “É a maior vitória, ter posto os sócios do Montepio e a cidade a falar, a defender e a pensar a sua instituição”, declarou.
A prioridade para o novo mandato de Francisco Rita é “conhecer os cantos da casa”, até porque a instituição não tem as contas de 2020 aprovadas, algo que o preocupa. O novo presidente quer também contribuir para o serenar de ânimos, quer dentro da instituição, quer em seu redor.

“Foi um processo eleitoral cheio de atropelos às regras éticas e legais, onde a isenção primou pela ausência”

João Marques Pereira

Quanto à decisão sobre o novo hospital, o dirigente comprometeu-se a ter, “o mais tardar em setembro”, todos os elementos reunidos para que os associados possam discutir a melhor solução em assembleia geral.
João Marques Pereira, presidente cessante, que encabeçou da lista A, numa curta declaração à Gazeta das Caldas, afirmou ter sido um processo eleitoral conturbado e que tem “sérias dúvidas sobre se foi o Montepio quem saiu vencedor”. “Isso só o tempo o dirá e esperemos que não seja tarde demais”, registou.
Após uma campanha marcada por alguma polémica, o dia de eleições decorreu sem problemas. As urnas abriram por volta das 10h30 e logo com forte afluência, que se manteve durante todo o dia. O tempo de espera chegou mesmo a ultrapassar uma hora.