A intervenção na Ponte da Ferraria, na margem sul da Lagoa de Óbidos, vai começar em inícios de Janeiro e deverá ser executada num prazo de 15 dias. A explicação foi dada pelo presidente da Câmara de Óbidos, Humberto Marques, no passado dia 6 de Dezembro, após a assinatura de um contrato inter-administrativo entre a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e o município.
Através deste contrato, a APA (entidade responsável pela intervenção) financia com 5000 euros a obra que será garantida pelo município, no que respeita à maquinaria, e por uma empresa a contratar que entrará com o material e a mão-de-obra.
A nova solução prevê que as estacas deixem de estar dentro de água, tendo em conta que houve uma ruptura interna dos pilares em madeira devido às toxinas que os moluscos injectam e provocam o seu apodrecimento.
Ainda no âmbito do contrato agora assinado, a APA compromete-se a pagar 30 mil euros pelas intervenções de desassoreamento feitas pela Câmara em Maio passado e que compreenderam a abertura da ligação da lagoa ao Mar e o reforço do cordão dunar. Serão ainda pagos 14.700 euros pela colocação de areias na praia do Rio Cortiço, que devido à força das marés, ficou sem areal. Esta praia está concessionada pela APA, que no início do Verão pediu ao município para, de uma forma mais célebre, intervir no local.
O presidente da Câmara, Humberto Marques, aproveitou a presença em Óbidos do vice-presidente da APA, José Pimenta Machado, para falar de problemas que continuam por resolver, como é o caso da ciclovia de ligação da margem norte à sul pelo braço da Barrosa. Falta também a conclusão da ciclovia no Braço do Bom Sucesso, em que os utilizadores têm que entrar numa estrada municipal.
O autarca pediu ainda a melhor diligência da APA no arranjo da ciclovia construída em 2005, que se encontra em elevado estado de degradação. Humberto Marques sugeriu que esta entidade pública faça a intervenção de fundo e que depois entregue a ciclovia, à semelhança do que aconteceu na margem norte, ao município que encarregar-se-á da sua posterior manutenção.

Dragagens previstas para Setembro

De acordo com o vice-presidente da APA, Pimenta Machado, a intervenção da segunda fase de dragagens na Lagoa de Óbidos será um dos “maiores projectos da agência em 2019”. Está previsto que o concurso internacional seja lançado no início do próximo ano.
Pimenta Machado considera que Setembro será uma data “realista” para o início da intervenção, tendo em conta que o concurso demorará cerca de seis meses, mas depois há um conjunto de situações que o podem atrasar, como é o caso de incidentes administrativos, omissões, reclamações, ou providências cautelares.
A intervenção, orçada em 15 milhões de euros, terá uma duração de 18 meses.