Novo mapa de risco de contágio pinta o Oeste a vermelho e laranja

0
255
| D.R.

Oito dos 12 concelhos estão com o nível extremamente elevado. Número de casos detetados na última semana atingiu os 2.179

A atualização do nível de risco de contágio de covid-19 dos concelhos pintou o país de vermelho e o Oeste não foi exceção. Oito dos 12 concelhos da região (Alcobaça, Nazaré, Óbidos, Peniche, Alenquer, Arruda dos Vinhos, Torres Vedras e Sobral de Monte Agraço) ficaram com o nível mais grave: extremamente elevado. Os restantes ficaram no imediatamente abaixo, muito elevado, com as mesmas medidas restritivas.
Este era um cenário que diversos presidentes de câmara da região já tinham antecipado, devido ao número preocupante de novos casos que se regista, sobretudo, desde o início do ano, contabilizando-se já 6.928 testes positivos na região desde 1 de janeiro. Só Torres Vedras (2.039) e Alcobaça (1.252), os dois concelhos que têm tido maior incidência de novos casos, contabilizam juntos quase 3.300 novos casos, quase metade do total da região.
Estes são, igualmente, os dois concelhos com maior número de casos desde o início da pandemia. Torres Vedras totaliza 4.162, enquanto Alcobaça superou Alenquer e atingiu os 2.179.
Nas Caldas da Rainha, os novos casos desde o início do ano ascendem a 802, para um total de 1.884 desde março do ano passado, quando o novo coronavírus atingiu o país.
Só nos últimos sete dias foram registados na região 2.285 novos casos e 82 mortes.

36 internados nas Caldas
Na passada terça-feira, o Centro Hospitalar do Oeste (CHO) anunciou que tem um total de 129 doentes covid internados, 36 na unidade das Caldas da Rainha e os restantes 93 na de Torres Vedras.
O CHO afirma ter a situação “controlada” tanto ao nível da urgência covid como não covid, “não se verificando tempos de espera relevantes”.
A administração adiantou ainda que converteu mais 12 camas de enfermaria para tratamento de doentes covid-19. Nas Caldas será feito um procedimento idêntico, dotando o serviço com mais 27 camas numa nova enfermaria covid.

Lares continuam a preocupar
Preocupante continua a situação nos lares de terceira idade da região, nos quais continuam a surgir novos surtos, que provocam elevado número de contágios e também de óbitos.
Nas Caldas da Rainha, o lar Caldas Residence provocou um morto e infetou 36 pessoas, 19 residentes e 17 profissionais, disse o delegado de saúde coordenador para a região Oeste, Jorge Nunes, em declarações à Lusa. Um dos utentes acabou por não resistir à infeção.
No Centro Social e Paroquial das Caldas da Rainha, foram detetados 10 infetados entre os utentes e oito nos funcionários. Estava a decorrer testagem num lar de idosos na Foz do Arelho, onde foram registados três casos de infeção.
Na Santa Casa da Misericórida das Caldas da Rainha, o número de infetados subiu para 107.
O surto no lar da Santa Casa da Misericórdia de Alcobaça já infetou 79 pessoas, num surto descoberto a 13 de janeiro e do qual já resultaram cinco óbitos
Também o Centro Cénico da Cela contabilizava, no início da semana, 63 casos positivos e um óbito.
No Bombarral, o número de infetados do surto no Hospital de Cuidados Continuados Casimiro da Silva Marques subiu de 22 para 44, dos quais 26 são utentes e 18 são funcionários. O surto provocou dois óbitos.
Na Lourinhã foram detetados vários surtos. O maior, com 66 infetados, foi detetado no lar e unidade de cuidados continuados do Complexo de Santa Bárbara. Na Casa de Repouso Vila Loba 35 pessoas testaram positivo, enquanto na residência de acolhimento de jovens da Casa Pia, na Areia Branca, 15 jovens e seis funcionários estão também infetados.
Surgiram casos positivos ainda no lar do Centro Social e Paroquial da Moita dos Ferreiros (7) e no lar da Santa Casa da Misericórdia da Lourinhã (3).

Escolas de Óbidos com 7 casos
Entretanto, oa Câmara de Óbidos deu a conhecer o resultado da testagem massiva na comunidade escolar. Em cerca de 1000 testes, foram detetados sete casos positivos, que foram reencaminhados para a Autoridade de Saúde. Os casos seriam suficientes para suspender 30% das turmas do Complexo Escolar do Alvito e 25% na Escola Josefa D’Óbidos. ■