Parceria para hospital do Montepio apresentada em setembro

0
214

Administração liderada por Francisco Rita está em negociação com parceiros. Montepio será entidade gestora da nova unidade de saúde

Os sócios do Montepio – Rainha D. Leonor deverão ser chamados a pronunciar-se, em setembro, relativamente ao projeto de instalação do novo hospital da associação mutualista no edifício da antiga EDP. Neste momento, decorrem “negociações com parceiros” e o desenvolvimento dos estudos de viabilidade económica.
“Em setembro, tal como tínhamos prometido, teremos a proposta para apresentar aos sócios”, revelou à Gazeta o presidente do conselho de administração.
Eleito por larga maioria no passado mês de maio, Francisco Rita esclarece que a proposta que será levada a assembleia geral pressupõe que “seja o Montepio a gerir a nova estrutura”, contando, ainda, com parcerias com entidades externas para a prestação de serviços.

Obra do lar de idosos chegou a estar em risco, mas houve entendimento com o empreiteiro

Todavia, antes daquela assembleia geral, os associados deverão ser chamados, provavelmente ainda em agosto, para aprovar as contas de 2020, que apresentam um resultado negativo a rondar o meio milhão de euros, e o orçamento para o ano em curso.
Nas últimas semanas, o conselho de administração tem-se desdobrado em contactos para dar continuidade à obra de construção do Lar Dr. Ernesto Moreira, que chegou a estar em risco, devido à falta de matérias-primas disponíveis no mercado. “Reunimos com o empreiteiro e foram ultrapassados os constrangimentos”, salientou o dirigente, denotando vontade de, assim que seja terminada a fase 1 da obra, possa ser lançado o concurso público para a fase 2.
“Estamos a tentar recuperar o tempo perdido. Estamos a tentar melhorar os serviços e, sobretudo, na Casa de Saúde, que estava em quase inatividade”, frisa Francisco Rita, que tem como objetivo “reduzir substancialmente o défice do ano passado e equilibrar as contas. ■