Petição por preservação de cruzeiro e colinas

0
396

Documento com mais de 1400 assinaturas entregue às várias entidades

Um movimento criado para preservar as colinas e cruzeiro de São Martinho do Porto enviou uma petição, com 1479 assinaturas, aos presidentes da CCDR de Lisboa e Vale do Tejo, da Câmara e da Assembleia Municipal de Alcobaça, a pedir a sua classificação e proteção paisagística. Em causa está um desaterro que está a ser realizado num terreno contíguo ao Cruzeiro, para a construção de um edifício de três pisos, em que os signatários pedem a confirmação ao município de Alcobaça sobre a legalidade da obra, e a suspensão da mesma “caso se verifiquem irregularidades respeitantes ao licenciamento da construção em causa prevista”.
Já contatado pela Gazeta das Caldas, o autarca Hermínio Rodrigues, afirmou que “a construção está licenciada e de acordo com todas as normas urbanísticas” e “recomendações paisagísticas”. Garantiu ainda que o edifício em questão “não vai colidir com a vista do miradouro, uma vez que, a construção fica, maioritariamente, abaixo da cota do arruamento de acesso ao mesmo”.
Na petição, os signatários também lembram que nas “colinas sobranceiras à vila de São Martinho do Porto existe um Cruzeiro, uma capela centenária designada de Santo António, e vários moinhos, que são há muitas dezenas de anos considerados como ex-líbris da comunidade local”.
O documento refere que o atual PDM não reconhece as colinas como elemento paisagístico da vila e que estas têm vindo progressivamente a ser ocupadas por “construções impactantes e pouco harmoniosas com o meio ambiente”. Lembra que os terrenos em causa “já foram baldios”, mas foram revertidos para privados em processos judiciais contra a Junta de Freguesia local. ■